Sindicato dos Guardas Municipais de Aracaju em debate na Tribuna Livre

O Vice-presidente do Sigma, André Luiz ocupou o espaço da Casa para falar sobre questões que envolvem os guardas municipais e também sobre os atuais problemas enfrentados pela categoria.

ARACAJU/SE – A Tribuna Livre da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) desta terça-feira, 30, foi ocupada pelo Sindicato dos Guardas Municipais de Aracaju (Sigma). O Vice-presidente do Sigma, André Luiz ocupou o espaço da Casa para falar sobre questões que envolvem os guardas municipais e também sobre os atuais problemas enfrentados pela categoria.

Segundo o representante dos guardas municipais, a intenção de participar da Tribuna Livre foi cobrar do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) estrutura e material para o trabalho diário. “Para combater a violência é necessário reunir diversas forças”, afirmou.

André Luiz ressaltou ainda que a Guarda Municipal poderia desafogar o trabalho da Polícia Militar com relação à fiscalização em parques ecológicos, problemas em restaurantes e bares, bem como ajudar o Corpo de Bombeiros na redução e prevenção de afogamentos. Outra reivindicação do sindicato é uma reunião com a Prefeitura Municipal de Aracaju para tratar das questões salariais. “Nós queremos inserir a guarda municipal nesse contexto, além de desempenhar nossas funções de forma harmônica”, frisou.

Por fim, o orador disse que espera que o prefeito dê mais atenção aos servidores que cuidam da segurança da população. “Nosso quadro está reduzido, e por isso queremos participar da comissão de elaboração de concurso público para a área que, no momento, está precisando de mais homens para dar conta das necessidades”, reforçou.

Em aparte

O vereador Cabo Didi (Sem Partido) parabenizou o presidente do sindicato pela preocupação em manter uma boa estrutura, qualidade e valorização profissional. “Investir na Guarda Municipal é valorizar o servidores públicos, é preservar os servidores municipais, é também preservar o patrimônio público. Para isso iremos procurar o diálogo e o entendimento com a Prefeitura”.

Américo de Deus (Rede) enfocou a necessidade da implantação do Plano de Cargos e Carreiras. “É necessária à implantação do Plano de Cargos e Carreiras desses agentes que cria a política de remuneração e estrutura os cargos evitando distorções e tornando possível o desenvolvimento do servidor na carreira, incentivando a qualificação profissional e a eficiência no serviço público”.

Já Cabo Amintas (PTB) disse que era solidário á luta dos colegas pelos servidos públicos. Disse ainda que como policial entendia que a Guarda Municipal é uma força e é tratada assim em outros estados, mas não aqui. “Preocupa não saber a quem a Guarda deve se dirigir. Não há uma secretaria ou um órgão a quem se liguem. Assistimos ao esfacelamento da Guarda”.

Já os vereadores Jason Neto (PDT), Elber Batalha (PSB), Lucas Aribé (PSB) e Emília Corrêa (Patriota) ressaltaram a necessidade da a implantação do Plano de Cargos e Carreiras desses agentes que cria a política de remuneração e estrutura os cargos evitando distorções e tornando possível o desenvolvimento do servidor na carreira, incentivando a qualificação profissional e a eficiência no serviço público. “Já basta a situação do estado com o Hospital da Polícia Militar (HPM) praticamente fechado, a delegacia plantonista da Zona Sul fechada e os tíquetes dos Policiais Militares baixos”, observou Emília.

Por Abrahão Crispim

 

Deixe seu comentário...