Afiando o gogó

Para desgastá-lo politicamente, alguns pré-candidatos vasculham.

POLÍTICA E COTIDIANO – ADIBERTO DE SOUZA – Faltando mais de um ano para as eleições municipais, pré-candidatos e lideranças políticas afiam o gogó para o confronto verbal a ser travado na campanha. Ao se atacarem, oposição e situação treinam o melhor discurso para enfraquecer o adversário e convencer o eleitorado, principalmente de Aracaju. Os políticos sabem que conquistar a prefeitura da capital significa meio caminho andado para chegar ao governo de Sergipe, dois anos depois. E é também por isso que todos querem impedir a reeleição do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). Para desgastá-lo politicamente, alguns pré-candidatos vasculham a administração municipal na esperança de encontrar qualquer mal feito, ao tempo em que criticam as ações desenvolvidas pela prefeitura. Para não se expor fora de hora, o comunista tem escalado aliados para defendê-lo e, quando preciso, bater nos adversários. Vai ser assim até o começo da próxima campanha, quando os gogós já estarão afiadíssimo e prontos até para cuspir bala, se preciso for. Cruz, credo!

Futuro temerário

A prisão do ex-presidente Michel Temer (MDB) deixou os políticos fichas sujas cortando prego. Eles temem pelo futuro, principalmente aqueles que perderam o foro privilegiado. Mais sujos do que pau de galinheiro, muitos parceiros do mordomo de filme de terror até já fizeram as malas para o caso de ganharem passagem de ida para a cadeia. Homem, vôte!

Perda de tempo

Políticos sergipanos se reúnem, hoje, com o presidente da Petrobras, Roberto Castelo Branco. Vão propor a reabertura da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen), de Laranjeiras. Como das vezes anteriores, a direção da estatal os informará não ser possível suspender a hibernação da unidade, pois o processo licitatório para seu arrendamento está bem adiantado. Aliás, a petrolífera acaba de obter liminar derrubando decisão judicial que suspendia a hibernação da Fafen de Camaçari (BA). Aff Maria!

Contra a desordem

Quase toda a bancada federal sergipana assinou a moção de repúdio contra o projeto propondo o fim do exame da Ordem. Segundo Inácio Krauss, presidente da OAB sergipana, a aprovação deste projeto pode acarretar resultados devastadores para a sociedade. Um desencontro de agendas impediu que a comitiva da OAB colhesse as assinaturas dos deputados federais Gustinho Ribeiro (SD) e Bosco Costa (PR). Certamente, os dois não se furtarão em assinar.

Porteiras abertas

Enquanto o governo jura que faz das tripas coração para aumentar a arrecadação, o contrabando rola solto em Sergipe. Há quem jure que quase todo o gado comprado em outros estados para abastecer o nosso marcado de carne não paga uma moeda furada de imposto. Um falastrão garante, inclusive, que este é só um pequeno exemplo da enorme sonegação de tributo em Sergipe. Crendeuspai!

País estressado

O sergipano Carlos Ayres Britto, ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, considerou “impactante” a notícia da prisão do ex-presidente Michel Temer (MDB). Segundo ele, a prisão de dois ex-presidentes da República aponta que o Brasil atravessa um clima de estresse “político, civil, jurídico”. O ministro disse, ainda, que se a prisão de Temer se fez necessária, mostra que a democracia vive de aperfeiçoamento constante e ininterrupto. Deus te ouça!

Batendo em retirada

E o vereador Juvêncio Oliveira (DEM) vai pendurar as chuteiras políticas. Ele ficou revoltado com a divulgação sobre seu envolvimento na contratação de servidores fantasmas pela Prefeitura de Aracaju. Juvêncio era secretário de Articulação Política quando o Ministério Público denunciou as contratações irregulares: “A política tem o seu limite e eu cheguei ao meu. Ano que vem, encerro esta trajetória”, prometeu. Então, tá!

Papo furado

Quem ouve os políticos sergipanos falando sobre a construção do Canal de Xingó, acha que é obra pra ser feita em curto prazo. Ledo engano. Apenas a elaboração do projeto básico está estimada em R$ 16 milhões. A 1ª fase do canal inclui obras num trecho de 114,55 quilômetros entre Paulo Afonso (BA) e Poço Redondo (SE), num investimento de R$ 872 milhões. Trata-se de um empreendimento caríssimo e de execução demorada. Portanto, falar sobre o Canal de Xingó como se fosse uma coisa simples, é diálogo flácido para acalentar bovino. Jesus!

Volta pra casa

E quem está em São Paulo fazendo política sindical é o deputado federal Valdevan Noventa (PSC). Foi mobilizar os filiados do Sindmotoristas para a assembleia geral de hoje à tarde, visando discutir a reforma da Previdência e a campanha salarial da categoria. Presidente licenciado do sindicato paulista, Valdevan critica a Medida Provisória 873, que desobriga o desconto em folha da contribuição sindical. Segundo Noventa, esta MP objetiva desmontar os sindicatos e favorecer a exploração do trabalho. Misericórdia!

Eleições diferentes

Alguém precisa dizer aos políticos cada eleição tem a sua história. Não é por ter sido eleito em outubro passado com uma montanha de votos, que o cidadão vai repetir a façanha em 2020. Aliás, a história está cheia de exemplos. Campeão de votos em 1986, na disputa por uma cadeira na Assembleia, o saudoso ex-governador Marcelo Déda (PT) achou que em 1988 se elegeria fácil prefeito da capital: teve apenas 8% dos votos no pleito vencido pelo advogado Wellington Paixão. Marminino!

Recorte de jornal

Publicado no aracajuano Jornal de Notícias em 8 de maio de 1932.

Resumo dos Jornais

Deixe seu comentário...