Alese dá aula de cidadania ao defender direitos dos professores

Desde o primeiro dia em que os professores começaram a vigília na Assembleia Legislativa de Sergipe.

SERGIPE – Empenho, muito diálogo e respeito marcaram as últimas negociações entre a Assembleia Legislativa de Sergipe, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica do Estado de Sergipe (Sintese) e o governador Belivaldo Chagas (PSD). Após reuniões com o deputado Iran Barbosa (PT), a presidente do Sintese, Ivonete Cruz e o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), Roberto Silva, o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe, Luciano Bispo foi pessoalmente conversar com o governador. O resultado é a garantia de direitos, levando ao encerramento de uma greve de oito dias e a desocupação das dependências da Alese por parte dos professores da rede estadual de ensino.

Desde o primeiro dia em que os professores começaram a vigília na Assembleia Legislativa de Sergipe, contrários aos Projetos de Lei Complementares nºs 16/2019 e 17/2019 (de autoria do Poder Executivo), que alteram regras na carreira do magistério, a exemplo do triênio, jornada de trabalho e aposentadoria; que o presidente da casa, deputado Luciano Bispo iniciou reuniões com a diretoria do Sintese, no sentido de garantir os serviços básicos aos profissionais da educação, a colocação de colchões, o funcionamento dos sanitários e do ar-condicionado durante toda a noite, além dos serviços de segurança e limpeza.

Em seguida, Bispo e o diretor de Comunicação da Alese, Marcos Aurélio Costa receberam com frequência, representantes da diretoria do sindicato, numa clara demonstração de que a Assembleia Legislativa de Sergipe está aberta ao diálogo em busca de soluções. E esse diálogo deu bons frutos na última terça-feira, pouco antes de os professores se reunirem em assembleia geral da categoria, no auditório do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, quando decidiram pelo fim do movimento grevista, o retorno imediato às escolas e a reposição das aulas.

Conquistas

Em nome da Alese, Luciano Bispo conseguiu junto ao governador Belivaldo Chagas, a manutenção de alguns direitos dos trabalhadores em educação como: o triênio e as incorporações de gratificações para a aposentadoria; a redução de ¼ da carga para quem tem 20 anos de trabalho. Com a intermediação do presidente da Alese nas negociações, esses direitos não serão retirados do projeto enviado pelo governo para ser apreciado e votado pelos deputados estaduais.

“Essa é a casa do povo e eu fiz o meu papel em fornecer a estrutura necessária para os dias em que os professores estavam em vigília na Assembleia e o papel de abrir o diálogo com a direção do sindicato, com os parlamentares e com o governador Belivaldo Chagas, para que chegássemos a um bom entendimento”, afirma Luciano Bispo.

Gratidão

A presidente do Sintese, Ivonete Cruz, agradeceu à Assembleia Legislativa, pelos oito dias que os professores passaram no prédio, em vigília na tentativa de reverter a situação da retirada de direitos.

“Eu agradeço a resistência da categoria, a força e a fé, mas também agradeço pelos oito dias que passamos aqui sem nenhum momento de angústia, sempre com muito diálogo e esperança”, destaca acrescentando que os professores continuarão acompanhando a tramitação e votação dos projetos na Alese, em luta pela manutenção da redução de 1/5 da carga horária e aos 15 anos de carreira para todos que estão na ativa.

Na sessão desta quarta-feira, 4, os parlamentares também agradeceram à Alese, pelo processo democrático instalado desde o último dia 26 de novembro, quando do início da greve dos professores e da vigília.

O deputado Iran Barbosa (PT) agradeceu ao presidente Luciano Bispo, aos colegas parlamentares, aos seguranças, a todos os servidores que direta ou indiretamente se envolveram no processo, a toda a comunicação da Alese pela cobertura respeitosa e aos profissionais da imprensa por terem abraçado a luta dos professores nos oito dias de vigília na Assembleia Legislativa de Sergipe.

“Foi um momento de aulas de cidadania e de engrandecimento dentro do parlamento sergipano, que cumpriu uma tarefa importante que é a de mediar os conflitos que ocorrem na sociedade. Quero agradecer ao presidente Luciano Bispo pelo processo de interlocução entre os professores e o poder; agradecer a atuação positiva do vice-presidente da casa, deputado Francisco Gualberto, à deputada Maria Mendonça, ao deputado Georgeo Passos, Kitty Lima, Gilmar Carvalho enfim a todos os parlamentares deram sua contribuição vindo à tribuna manifestar seu ponto de vista e compreendendo o momento duro e difícil que nós atravessávamos, ajudando o processo parcial de sucesso”, enfatiza.

Segundo a deputada Maria Mendonça (PSDB), a intervenção da Assembleia Legislativa no processo de diálogo com os professores e com o governador, foi muito importante.

“Foi muito importante dialogar porque se chegou a um consenso e houve o bom senso da Casa. Quando eu ocupei a tribuna num primeiro momento, fiz um apelo para que se formasse uma comissão visando abrir o diálogo e colaborar com os professores no sentido de manter os seus direitos; que o seu plano de carreiras não pudesse ser de fato destruído. Graças a Deus e ao bom senso dos homens e mulheres que buscaram mediar essa questão e a partir daí, o governo com a sua sensibilidade nos deu esse resultado, resolvendo as reivindicações dos professores em parte”, enfatiza.

Por Aldaci de Souza – Rede Alese

FOTO – Jadilson Simões

Deixe seu comentário...