Antes matar advogado, assassino pediu um “envelope” que estava com a vitima

Dr. Marco Garcia conta que "o elemento chegou usando um capacete e pedindo o celular, relógio e o pacote de dinheiro.

AQUIDABÃ/SE – A polícia civil sob o comando do delegado Marcos Garcia já iniciou as investigações e não descarta crime de latrocínio e afirmou que ao contrário do que foi divulgado a princípio, apenas um homem participou do assassinato do advogado Jarbas Feitoza de Carvalho Filho, no final da manhã desta segunda-feira (11) em um Povoado de Aquidabã.

Em entrevista ao repórter Sandoval Noticias, o delegado Marcos Garcia informou que o advogado se encontrava em uma fazenda em companhia de seu motorista, onde ele iria fazer uma troca de um cavalo por um ponei. Segundo o delegado, Jarbas Feitoza estava com um envelope nas mãos e que possivelmente seria dinheiro para pagar a transação que tinha feito quando um elemento se aproximou e anunciou o assalto.

Dr. Marco Garcia conta que “o elemento chegou usando um capacete e pedindo o celular, relógio e o pacote de dinheiro que estava em um envelope de cor pardo. Ele pegou o envelope e em seguida efetuou dois disparos, possivelmente de revólver e em seguida fugiu tomando rumo ignorado, porém nós já temos algumas linhas de investigação”, contou o delegado.

Munir Darrage

 

Deixe seu comentário...