Câmara Municipal de Capela gastou mais de R$ 370 mil com diárias na gestão Adauto Sukita

O documento foi encaminhado pelo presidente atual da Câmara, o vereador Ronaldo Cruz (PPS), conhecido como Rony Cruz, ao Tribunal de Contas de Sergipe (TCE-SE).

CAPELA/SE – A Câmara de Vereadores do Município de Capela gastou no período de 2017 a 2018 uma soma de R$ 377.300 com o pagamento de diárias. O documento foi encaminhado pelo presidente atual da Câmara, o vereador Ronaldo Cruz (PPS), conhecido como Rony Cruz, ao Tribunal de Contas de Sergipe (TCE-SE) para que a Corte de Contas possa investigar a destinação desses valores.

O assunto foi tema do programa Jornal da Fan da Fan FM Carmópolis na tarde desta quarta-feira, 10. Rony Cruz esteve no estúdio da emissora e apresentou os valores, informando que a solicitação do TCE surgiu a partir da nota atribuída pela Corte de Contas à transparência da Casa Municipal. As diárias são pagas para custear deslocamentos e demais despesas relacionadas a essas viagens de vereadores e servidores da casa.

Segundo o vereador Rony Cruz, a atual gestão já solicitou uma tomada de contas especial do período de 2017, 2018 e 2019 ao TCE para uma averiguação mais detalhada. Ele explicou que o pedido foi feito diante da pressão popular. Nos últimos dias, a cidade de Capela vem denunciando nas redes sociais desmandos na presidência de Adauto Sukita.

Rony Cruz detalhou no ar as contas da gestão de Adauto Sukita e disse que  em 2017, foram gastos R$ 199.700 com o pagamento de diárias. Desse montante, R$ 40.950 foram gastos com os 13 vereadores e o restante com servidores. Dos R$ 40.950, R$ 11.350 foram destinados ao pagamento de diárias de Adauto Sukita.

Mostrou ainda que no ano de 2018, a Câmara gastou R$ 177.700, sendo que R$ 32.450 foram só para pagamento de diárias de vereadores, dos quais R$ 19.350 foram destinados para o nome de Adauto Sukita. O restante seguiu para os servidores, comissionados e efetivos.

Já na gestão atual, foi gasto no ano de 2019, o valor de R$ 75.750.

Embora Rony Cruz tenha considerado os R$ 377 mil uma soma alta, ele não quis fazer juízo de valor antes da investigação do TCE.

 

Deixe seu comentário...