CASO DESIGNER “Não houve erro na abordagem policial, o que temos até agora são as versões apresentadas”, diz advogado

Além dos três rapazes que estavam no carro e os policiais ninguém mais conviveu com o fato.

ARACAJU/SE – Diante dos questionamentos feitos quanto à abordagem policial que terminou na morte do designer Clautenis José dos Santos, de 37 anos, a defesa dos três policiais se posicionou nesta quinta-feira, 11 durante o Jornal da Fan. “Só representa perigo quem está com armas e drogas?”, questionou o advogado de defesa Cícero Dantas.

O posicionamento foi dado, quando se questionou se os três rapazes abordados portavam algum tipo de arma ou droga, que representasse perigo aos policiais.

Cícero Dantas e Alessandro Calazans são advogados do Sindicato dos Policiais (Sinpol) e estão atuando no caso. Os dois pedem cautela da sociedade.

“Não houve erro na abordagem policial. O que temos até agora são as versões apresentadas. Além dos três rapazes que estavam no carro e os policiais ninguém mais conviveu com o fato. Portanto é preciso aguardar o andamento das investigações para que seja esclarecido o que provocou a morte da suposta vítima”, afirmou o advogado Cícero Dantas.

Desde a terça-feira, 9, os três policiais que executaram o rapaz estão afastados de suas funções a pedido deles.

Entenda o caso

Clautenis José dos Santos foi morto a tiros nas proximidades do Sesi do bairro Santos Dumont, na Zona Norte de Aracaju (SE). De acordo com o tio da vítima, Clautenes e um amigo tinham saído do Conjunto Bugio e seguiam para a Barra dos Coqueiros (SE) em um carro de um aplicativo de transporte por volta das 22h da segunda-feira, 8, mas segundo ele, a viagem teria sido interrompida por policiais civis encapuzados, que fizeram o veículo parar e dispararam vários tiros.

Ainda segundo o tio da vítima, o rapaz foi baleado na cabeça e depois teve o corpo jogado na carroceria da viatura. O jovem foi levado ao Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), mas já chegou morto.

O motorista do aplicativo de transporte foi baleado na perna e o amigo do jovem não foi atingido. O amigo  de Clautenis informou à família que chegou a ouvir de um dos policiais a afirmação de que teria matado o homem errado.

FONTE: FAN/F1

 

Deixe seu comentário...