Confira o resultado dos julgamentos da sessão plenária do Tribunal de Contas

O conselheiro Ulices Andrade votou pelo provimento parcial da representação formulada pelo Ministério Público de Contas.

Compartilhe...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Print this page
Print

SERGIPE – O Tribunal de Contas do Estado de Sergipe julgou 39 processos e cinco protocolos na sessão do Pleno desta quinta-feira, 13, que contou com a presidência da conselheira Susana Azevedo. Também participaram os conselheiros Carlos Alberto Sobral, Carlos Pinna de Assis, Flávio Conceição, Ulices Andrade e a conselheira Angélica Guimarães, além do procurador geral do Ministério Público de Contas, João Augusto Bandeira de Mello.

O conselheiro Ulices Andrade votou pelo provimento parcial da representação formulada pelo Ministério Público de Contas para investigar as despesas com participação de servidores e vereadores da Câmara Municipal de Riachuelo em congressos e eventos promovidos pela Embraevs. Em relação ao gestor Aldomiro Freire de Lima foram apontadas despesas R$ 61.420,00 com inscrições, além de R$ 51.900,00. No período de Pedro Oliveira Santos foi um total de despesa de R$ 80.800,00. Diante disto, o conselheiro determinou a glosa de R$ 50. 080,00 para Aldomiro e R$ 68.639,00 para Pedro. Aplicou-se ainda multa de 10% do valor de todo dano causado ao erário.

Na prioridade dois da sessão, o conselheiro Carlos Pinna decidiu pela aplicação de multa de R$ 5 mil ao prefeito Miguel de Loureiro por conta da representação movida pelo sindicato dos servidores municipais de Porto da Folha contra o prefeito, em relação ao direito dos servidores receberem os reajustes anuais e que não foi cumprido.

Em assuntos gerais, a conselheira Susana Azevedo passou temporariamente a presidência da sessão para o conselheiro Carlos Alberto e relatou o protocolo oriundo do Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe no qual informa que a empresa Camel Empreendimentos e Construções, que havia sido declarada vencedora, declinou de seu direito de celebrar o contrato referente às obras de recuperação da ponte que interliga os municípios de Santa Rosa de Lima e Riachuelo, destruída pelas chuvas. Ainda no expediente, o DER informou que a segunda colocada aceitou executar o serviço pelos mesmos valores previstos proposto pela primeira colocada. Diante disto, para que não haja prejuízo à coletividade e considerando a urgência do serviço, a conselheira votou e o colegiado acatou pela suspensão dos efeitos da cautelar de modo a permitir a assinatura do contrato e execução do serviço, ressaltando que os atos provenientes da licitação ainda serão analisados no referido processo.

Regulares com ressalvas

O colegiado do Tribunal julgou ainda como regulares com ressalvas as Contas Anuais da Prefeitura Municipal de N. Sra. Aparecida do exercício financeiro de 2013, de interesse de Verônica Santos; Contas de recursos de convênio nº100.053/08, no valor de R$ 590 mil, bem como termos aditivos do 1º ao 4º para construir a Clínica de Saúde da Família e aquisição de equipamentos para melhor atendimento aos usuários do SUS, celebrado com o Fundo Estadual de Saúde; Contas Anuais do Fundo Municipal de Saúde de São Miguel do Aleixo, cujo processo é TC/002905/2013, de interesse das ex-secretárias de saúde do município, Juscileide Ferreira e Marilia Garcia; Contas 2015 da Empresa Sergipana de Turismo, com aplicação de multa mínima para os ex-gestores Adilson de Carvalho Silva Júnior e José Roberto de Lima.

Houve decisões ainda de provimento parcial do Recurso de reconsideração feito pela ex-secretária de saúde de Estância contra decisão TC-17239/2010, mantendo a multa e retirando parte da glosa (devolução); Recurso de reconsideração do gestor Everaldo Nunes, em relação a Câmara Municipal de S. Francisco; provimento parcial, com aplicação de multa mínima, em relação à representação do MP de Contas motivada pelo Sindicato do Trabalhadores da Educação Básica de Sergipe contra Jorge Carvalho do Nascimento e Jeferson Dantas Passos, em relação às contas do Fundeb de janeiro a fevereiro de 2015.

A Corte de Contas julgou pela atuação do ofício relacionado à Prefeitura de Lagarto e da manifestação em relação à Câmara Municipal de Laranjeiras.

O conselheiro Ulices Andrade votou pela manutenção da medida cautelar que suspende os empréstimos realizados pelo Instituto de Previdência Aposentadoria e Pensões dos Servidores do município de Ilha das Flores à prefeitura municipal uma vez que esta prática poria em risco a capacidade do instituto em honrar com os compromissos existindo a possibilidade real de desequilíbrio financeiro e atuarial. Este voto vale até a decisão final do processo TC 12453/2019.

Regulares

Na sessão foram julgadas como regulares as Contas da Câmara Municipal de Cedro de São João (2013); Contas da Câmara Municipal de São Domingos (2017); Contas da Câmara M. de Ribeirópolis (2017); Contas do Fundo Municipal de Assistência Social de Itabaianinha (2015); Fundo M. de Assistência Social de Cumbe (2016); Fundo M. de Assistência Social de Muribeca (2016); Fundo M. de Assistência Social de Telha (TC/000961/2016); Fundo M. de Assistência Social de Canhoba (2016); Fundo M. de Assistência Social de Porto da Folha (2016); e Fundo M. de Assistência Social de Itaporanga D’Ajuda (2017).

Outras contas regulares foram as do Fundo Municipal de Saúde de Santo Amaro das Brotas (2014); Fundo M. de Saúde de Aquidabã (2016); Fundo M. de Saúde de Japoatã (2016); Fundo M. de Saúde de Carira (2018); Fundo M. de Saúde de N. Sra. de Lourdes (2017); Fundo M. de Saúde de Carira (2017); Fundo M. de Saúde de Canindé de São Francisco (2017); da Secretaria de Estado da Justiça e de Defesa ao Consumidor (2017); da Secretaria de Estado da Casa Civil (2017); e Fundo de Modernização e Aparelhamento da Defensoria Pública de Sergipe (2017).

Também contaram com julgamentos favoráveis pela regularidade o Fundo de Modernização do TCE (2017); Fundo de Apoio à Industrialização (2017); Fundo Penitenciário de Sergipe (2017); Fundo Municipal de Defesa do Consumidor de Aracaju (2017); Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação (2016) e Fundo Estadual de Recursos Hídricos (2016).

Arquivamentos

Houve ainda arquivamentos de  processos e protocolos como da denúncia sobre supostas irregularidades do edital concernente a Empresa Municipal de Serviços Urbanos; denúncia proposta por Carlito Ferreira de Jesus, através da Ouvidoria do TCE, sobre supostas irregularidades envolvendo à Prefeitura de Itabaiana na locação de imóvel destinado ao armazenamento de materiais pertencentes à prefeitura, mas cedida a particular; denúncia em relação à Secretaria de Estado da Educação; ofício no tocante ao Governo do Estado; e aviso com respostas à Prefeitura de Porto da Folha.

TCE/SE

Deixe seu comentário...