Cresce o número de empreendedores seniores no estado de Sergipe

Mais de 50 mil negócios no estado são comandados por pessoas com mais de 54 anos.

Compartilhe...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Print this page
Print

SERGIPE – Um estudo do Sebrae mostra que tem crescido em Sergipe o número de negócios comandados por empreendedores seniores, aqueles que possuem mais de 54 anos de idade. Dezoito por cento dos empreendimentos no estado são chefiados por pessoas dessa faixa etária, o que representa um universo de aproximadamente 51 mil pessoas.

Esse público é composto em sua maioria por homens (67%), negros (70% do total) e possuem baixa escolaridade (61% deles têm apenas o ensino fundamental). Nove em cada dez trabalha por conta própria e 87% não possuem sócio no negócio.

De acordo com a pesquisa, o principal motivo que tem levado esse grupo a empreender foi a necessidade de complementar a renda.  Para 21%, a vontade de começar um negócio está relacionada ao desejo de se manterem ocupados após a aposentadoria. Outros 21% afirmaram que a motivação para abrir uma empresa é a necessidade de contribuir com o sustento da família.

Um dado que chama a atenção é que entre os empreendedores sêniores predomina a informalidade. Noventa e um por cento deles não possuem CNPJ. Oito entre dez empreendedores possuem rendimento de até um salário mínimo, atuando primordialmente em estabelecimentos fixos (loja, escritório ou galpão).

“ Os números mostram que há uma tendência de crescimento desse tipo de empreendedores. As pessoas estão cada vez mais em plenas condições de continuar produzindo, entregando experiência e resultados. Além disso, temos um cenário em que a expectativa de vida será cada vez maior. Muitas vezes o mercado de trabalho não oferece mais oportunidades para esse público, então é preciso criar uma alternativa para continuar sobrevivendo. Por outro lado, também temos aqueles que aproveitam esse momento para fazer o que sempre quiseram, que lhes dê mais prazer e proporcione uma nova fonte de renda”, explica o superintendente do Sebrae, Paulo do Eirado.

Empreender na aposentadoria

A tendência de crescimento apontada pelo superintendente é apontada também por um outro estudo do Sebrae. Uma pesquisa intitulada Perfil do Potencial Empreendedor Aposentado mostra que ao menos um em cada dez pessoas que estão próximas à aposentadoria pretende empreender nos próximos dois anos. Desse universo, 50% querem abrir um negócio no setor do comércio e 30% disseram que irão atuar no ramo de serviços.

“ Os empreendedores aposentados formam um grupo de pessoas que têm experiência, disposição e credibilidade, já desenvolveram uma série de competências. Por outro lado, podem ter dificuldades em se adaptar às novas tecnologias e apresentar resistência para adquirir novos conhecimentos. Para que ele tenha sucesso é necessário que ele esteja disposto a aprender mais e invista na gestão do próprio negócio, ampliando assim a sua visão sobre a empresa”, reforça Paulo do Eirado.

O número dos entrevistados que buscou se capacitar nos últimos dois anos é baixo, só 24% participaram de cursos, palestras ou consultorias. Entre os que querem abrir a própria empresa, o número de interesse em se capacitar é de 64%, e o que mais destacaram foi interesse nas áreas de empreendedorismo, finanças, marketing e vendas e planejamento.

Por Wellington Amarante

FOTO – Assessoria

Deixe seu comentário...