De Saída? Clóvis Assumiu O Risco Indo Para O TCE E Agora “Vitimismo” Não Cola!

Clóvis respondeu apenas a dois questionamentos, sendo que um deles marcante e foi feito pelo então deputado estadual e hoje prefeito de Ribeirópolis, Antônio Passos: o ex-parlamentar perguntou a Clóvis se ele estava ciente do risco de Flávio Conceição conseguir reverter sua aposentadoria compulsória.

POLITIZANDO – HABACUQUE VILACORTE – Era fim de tarde, do dia 22 de abril de 2009, uma quarta-feira, quando o então secretário de Estado do Governo de Sergipe, Clóvis Barbosa, era sabatinado por uma Comissão Especial da Assembleia Legislativa que ratificou seu nome para ocupar a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), atendendo a uma indicação do então governador Marcelo Déda (in memoriam), após a aposentadoria compulsória do conselheiro Flávio Conceição.

Naquela sabatina, Clóvis respondeu apenas a dois questionamentos, sendo que um deles marcante e foi feito pelo então deputado estadual e hoje prefeito de Ribeirópolis, Antônio Passos: o ex-parlamentar perguntou a Clóvis se ele estava ciente do risco de Flávio Conceição conseguir reverter sua aposentadoria compulsória. Em alto e bom som para os presentes, o então “candidato” disse que estava “consciente do risco”, que “juridicamente” a vaga existia e que abriria mão de tudo pela vaga.

Não custa lembrar que o então vice-governador, Belivaldo Chagas (PSD), que hoje comanda o Executivo, era a “primeira opção” de Déda, mas naquele momento recuou por entender que se tratava de um imbróglio jurídico difícil de se resolver. O nome de Benedito Figueiredo também foi “ventilado”, mas o assunto não avançou. Vaidoso, Clóvis apostou que aquela situação era “irreversível”. Seu nome não foi questionado pelos deputados na Assembleia e ele chegou ao TCE.

Daí em diante o “novo conselheiro” deixou o “poder” lhe subir a cabeça, externou um lado arrogante e ingrato que muitos não conheciam, e despertou o arrependimento em muita gente que trabalhou forte, que ajudou na articulação para que seu nome fosse o “escolhido” pelo ex-governador. Clóvis isolou-se com a “toga”, deixava transparecer que era “superior” diante dos seus pares, foi rasteiro, sorrateiro e, ironicamente, indicado politicamente, queria ser o “inimigo nº 1” dos políticos…

Enquanto Flávio era “massacrado” e “execrado” pela mídia e setores da sociedade, enquanto lutava por uma “causa perdida”, Clóvis desdenhava. Assumiu a presidência do TCE, foi de longe o mais “midiático” dos conselheiros e, por vezes, esqueceu que comandava um órgão auxiliar, chegando a desafiar publicamente o governador à época e o prefeito de Aracaju. Montou uma “estrutura do mal”, os gestores eram receosos com o Tribunal, tinha um “ministro” cruel e implacável. Fazia questão de ser um presidente antipático com os colegas e fez de tudo para afastar Ulices Andrade da Corte…

Sua gestão não deixou saudades; o poder acabou, a imprensa o esqueceu, o “ministro” se foi e a classe política lhe renegou, aliás, ela é implacável com ingratidão…10 anos se passaram e o “improvável” ocorreu: Flávio foi absolvido, as denúncias que lhe aposentaram perderam o objeto e, agora, ele busca seu direito. Ironicamente, logo Flávio, tão importante e participativo na gestão pública, tão respeitado pelos políticos. Clóvis vai berrar, vai tentar se segurar. Mas a sensação é que está de saída! Pode fazer qualquer coisa, menos “vitimismo”. Ele estava ciente de todos os riscos. Teve chance de voar alto e mergulhar fundo. Corre o risco de “morrer afogado”…

Veja essa!

Na sessão plenária do TCE/SE ocorrida nessa quinta-feira (11), o conselheiro Carlos Alberto Sobral foi sorteado como relator que irá analisar o pedido formulado pelo conselheiro aposentado Flávio Conceição de Oliveira Neto, que requer a nulidade do ato administrativo que determinou a sua aposentadoria compulsória, em abril de 2015.

 E essa!

O sorteio do relator ocorreu após a Coordenadoria Jurídica da Corte de Contas emitir parecer favorável ao recebimento do pleito do conselheiro aposentado, de modo que será reanalisada a decisão proferida no Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) que culminou na sua aposentadoria.

Fatos novos

O conselheiro aposentado alega que há fatos novos, decorrentes do julgamento da apelação cível no TRF da 5ª Região, que o absolveu judicialmente, declarando a nulidade das provas colhidas.

Bate-boca I

Uma fonte bem avisada, no Palácio, informa: a exoneração do chefe do gabinete militar Eduardo Henrique Santos se deu por conta de um intenso bate-boca com um assessor próximo do governador. O militar teria negado um pedido do auxiliar e este teria levado o caso para o Chefe do Executivo. Parece que um “carro” gerou a discussão…

Bate-boca II

Segundo a fonte, muita gente estranhou a saída de Eduardo porque ele estava com o agrupamento desde a primeira gestão de Marcelo Déda (in memoriam) na PMA.  Outra informação é que outro forte “bate-boca” teria sucedido este “impasse”, que culminou com a exoneração. Agora, como perguntar não ofende, o que teria motivado o militar a correr o risco de perder sua função? Que pedido teria sido feito?

Auditoria na FHS

Outra fonte comentou com este colunista que supostamente existem casos de nepotismo e acúmulos de vínculos dentro da Fundação Hospitalar de Saúde. A mesma fonte apela que o TCE promova uma auditoria nas contas da FHS e já cobra: tem que pedir ressarcimento ao erário público.

Exclusiva!

Uma recente licitação na DESO vai dar o que falar! Várias empresas compareceram para a disputa e, chegando no local, cada empresário ou representante era abordado por um “velho conhecido” da Companhia, convidando a turma a não participar da concorrência. Dizia aos quatro cantos que a obra já era dele e que, inclusive, já se encontrava em execução, mesmo sem ser contratado…

Bomba!

Além disso, outro ponto incomodou os concorrentes: a flexibilidade da Comissão de Licitação que (pasmem os senhores) retardou o início dos trabalhos até que, supostamente, o “velho conhecido” sinalizasse para algo. Em tempos de Páscoa, a informação é que o sujeito tentou esvaziar a licitação distribuindo “doces e chocolates”. Deve ser para “estimular o convencimento”…

Galeguinho, galeguinho…

A coluna avisa ao governador para ter mais atenção com a DESO. O comentário é que se o cidadão não vencesse, o processo não iria ocorrer. O “sujeito” só não contava que uma das concorrentes tinha a gerência de um político influente no Estado, que estaria contrariado com o governo. Daí em diante o processo andou normalmente e, com as propostas abertas, o “falastrão” findou derrotado…

Alô MPE!

Bastante inconformado, mesmo derrotado, o “sujeito” não perdeu a pose e estranhamente começou a falar na desclassificação da empresa vencedora e qualquer outro concorrente que tentasse lhe atrapalhar. Nem que para isso buscasse burlar documentos. Os órgãos fiscalizadores precisam investigar isso. O ex-governador Jackson Barreto também precisa ficar atento com seus liderados…

Promoções

Segundo o Coronel Rocha, reformado da Polícia Militar, diz que recebeu uma ligação do governador Belivaldo Chagas informando alguns entraves administrativos que causaram o atraso nas promoções da PM de dezembro passado, mas garantiu que até o final de semana publica no Diário Oficial as referidas promoções.

Resolução BC

O Governo do Estado informa que os salários dos 30% de funcionários públicos estaduais que recebem nesta sexta-feira (12), estarão disponíveis a partir das 9h, ao invés de já amanhecer na conta, como é usual. Todos os recursos para pagamento dos salários foram encaminhados pela Secretaria de Estado da Fazenda ao Banese em prazo hábil e na sua totalidade.

“Atraso retardado”

Essa nova situação acontece devido a uma recente resolução do Banco Central que no intuito de uniformizar horários, determina ao Banese que somente disponibilize os salários dos servidores clientes do banco, no mesmo momento em que entrar os salários dos demais servidores que recebem por outros bancos (portabilidade).

Artistas sergipanos I

O líder da bancada de oposição na Assembleia Legislativa, deputado estadual Georgeo Passos (REDE), promoveu durante a tarde dessa quinta-feira (11), no plenário da Casa, a audiência pública “O Abandono do Forró Pé de Serra e as dificuldades enfrentadas pelos artistas sergipanos”. Participaram vários artistas sergipanos que aproveitaram o encontro para debater a crise do setor e pedir o apoio dos parlamentares e da Casa como um todo.

Artistas sergipanos II

Durante o debate, vários artistas relataram suas decepções e tristezas com a falta de valorização dos profissionais sergipanos em detrimento de artistas de outros Estados. Dentre as reivindicações da categoria estão mais respeito, tratamento mais isonômico, uma política de valorização e de incentivos às nossas tradições, além do incremento para o turismo local. Um dos temas que mais gerou debate foi sobre a falta de um planejamento para os festejos juninos.

Georgeo Passos I

“Nossa ideia era de promover esta audiência agora mesmo, em Abril, porque sabíamos da falta de planejamento para os festejos juninos que já estão chegando. Queremos despertar os governantes para esta necessidade, que novamente não deixem para a última hora e só valorizem os artistas de outros Estados. Planejando dá para promover um pregão eletrônico, uma grande concorrência. Essa questão do cachê pago com antecedência para os artistas de fora fez o TCE/SE mudar uma resolução específica para isso”, explicou Georgeo.

Georgeo Passos II

Ele disse ainda que a audiência foi positiva porque duas sugestões de projetos de lei foram encaminhadas e podem servir de ampla discussão para um bloco de deputados. “Quando o recurso é privado, não podemos intervir, mas quando o recurso é público, o Estado pode sim passar a fazer determinadas exigências para promover o resgate da nossa cultura. É preciso ver a possibilidade de se estabelecer um horário para que as rádios possam propagar a música sergipana e assim ficar habilitada para receber recursos públicos”.

Kitty Lima

Também presente na audiência, a deputada estadual Kitty Lima (REDE) disse que o forró é um “patrimônio cultural”, é algo sempre atual e que deve ser discutido o ano inteiro. “O Forró faz parte da nossa raiz, está na alma dos sergipanos. Isso é prioridade. Quando a gente questiona, logo falam em Saúde ou Educação. Também são Pastas importantes, mas uma coisa não tem nada a ver com a outra! Não se pode misturar as coisas. É preciso ter coragem para denunciar essas coisas, deixamos o nosso recado para a Cultura e o nosso mandato está a disposição para ajudar e para ir para a linha de frente”.

Garibalde Mendonça

Outro deputado que fez questão de destacar a luta dos artistas sergipanos foi Garibalde Mendonça (MDB). Ele registrou que, em seu sexto mandato na Casa, já promoveu audiências, debates e participou de vários encontros, mas os governantes não focaram na valorização dos trabalhadores. “Existem projetos nesta Casa voltados para a valorização da Cultura, que exigem um percentual mínimo para que as músicas sergipanas sejam tocadas e para que os artistas sejam contratados em eventos, mas nada disso parece ser levado em consideração”.

Cabo Amintas

Presente na audiência, o vereador de Aracaju, Cabo Amintas (PTB), também se manifestou lamentando que o público em geral e muitos artistas sergipanos não tenham ido prestigiar a audiência. “Essas galerias deveriam estar tomadas! O músico sergipano não despertou para a importância que um debate desses tem! Aqui nós vemos sempre os mesmos guerreiros, batalhando em defesa da nossa Cultura. Rogério deixou um legado, que Sergipe é o País do Forró. Hoje não somos nem o povoado!”.

Empreendedorismo

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) promoveu uma ampla audiência pública sobre empreendedorismo feminino. Na oportunidade, diversos segmentos da sociedade e representantes de instituições se fizeram presentes, apresentando sugestões e experiências, buscando a valorização da mulher. Maria Mendonça buscou propostas para aprimorar o projeto de lei, de sua autoria, que visa a criação de políticas públicas de incentivo para mulheres empreendedoras.

Isabel Ferreira I

A primeira a discursar no evento foi a embaixadora do Comitê de Políticas Públicas do Grupo Mulheres do Brasil (que incentiva o protagonismo feminino na sociedade), a jornalista Isabel Ferreira. Ela falou sobre a proposta idealizada pela presidente do Conselho Administrativo da Rede Magazine Luiza e uma das líderes do grupo no País, Luiza Helena Trajano.

Isabel Ferreira II

“Temos quase um ano de atividades e trabalhamos em três frentes: o empreendedorismo, o combate à violência e a elaboração de políticas públicas. Nós entendemos que o Estado pode ampliar esse trabalho, se unindo e ampliando nossa atuação, esse protagonismo. Quando a gente contribui para o empoderamento, a gente também luta e combate a violência contra a mulher”, pontuou.

 Maria Mendonça

Por sua vez, Maria Mendonça explanou que sua ideia é transformar o projeto de lei em tramitação em referência nacional. “Estamos buscando garantir para a mulher sergipana sua valorização e vamos estender isso às escolas da rede estadual para que possamos trabalhar essa pauta com as estudantes. Queremos instituir essa política de estímulo ao empreendedorismo feminino no sentido que este projeto torne-se referência para o restante do Brasil”.

 Brasil 200

Representando o Movimento Brasil 200 (que faz referência aos 200 anos de independência do Brasil), o coordenador Lúcio Flávio Rocha disse que o projeto é parceiro do Grupo Mulheres do Brasil. “Queremos saber como iremos construir o nosso País para a verdadeira independência e nós entendemos que para isso nós temos passar pelo empreendedorismo. Estamos em um País com milhões de desempregados”.

Lúcio Flávio

“Mulheres empreendendo estão aquecendo o mercado de trabalho, a economia. Trata-se de um movimento altruísta e isso deve ser uma decisão e não uma imposição. Temos funcionárias, políticas e mães de famílias bem sucedidas. Temos que criar um lastro para acolher essas mulheres nos negócios. O País precisa disso”, completou Lúcio.

 Fecomércio

Representando o presidente da Fecomércio/SE, deputado federal Laércio Oliveira (PP), a Coordenadora das Câmaras Empresariais, Cris Moura, fez um convite especial aos presentes. “Nós que fazemos a Fecomércio consideramos essencial o fomento do empreendedorismo feminino. Nós já fazemos a nossa parte através da Câmara Empresarial da Mulher, incentivando essas gestoras de negócios. Com muito orgulho nós presenciamos essas mulheres abrindo espaços. Nós aproveitamos para convidar a todos que tenham interesse em conhecer o nosso trabalho de fomento”.

Banese I

Representando o presidente do Banco do Estado de Sergipe (Banese), a superintendente de crédito, Maraíza Cruz Sá, fez uma exposição em plenário sobre todas as linhas de crédito disponíveis para incentivar o empreendorismo feminino. “Hoje estamos vivendo um dia importante para as mulheres com esse debate amplo, já conversei com algumas mulheres aqui e é um começo na busca por esse empoderamento. Estamos abertos para disponibilizar nossos serviços para a sociedade”, disse, se colocando a disposição para discutir as propostas com entidades.

Banese II

Em seguida, Maraíza Cruz fez uma breve apresentação com modelos de linhas de crédito acessíveis às mulheres empreendedoras. “Temos propostas para o empreendedorismo de início, como a implantação, modernização e reforma do setor industrial, além de prestação de serviços e projetos de investimentos de capital de giro para micro, pequenas e médias empresas, como também parcerias para aquisição de equipamentos nacionais e parcerias com o Estado voltadas para o turismo e o financiamento do 13º salário e encargos de empresas. Tudo com taxas baixas”.

Goretti Reis I

Falando como Procuradora da Mulher e presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Mulher, a deputada Goretti Reis (PSD) valorizou a iniciativa de Maria Mendonça e pontuou que a meta a ser alcançada está na busca pela igualdade. “Queremos leis que realmente garantam o respeito e a igualdade. Essa luta deve ser sempre enfatizada”.

Goretti Reis II

“Temos que trabalhar para que algumas particularidades das mulheres não sejam impeditivos no mercado de trabalho, que tenhamos salários iguais, valorizando a inclusão. Inclusive temos um projeto voltado para a necessidade de motivação onde as empresas terceirizadas do Estado reservem um percentual de 3% do seu efetivo para mulheres vítimas da violência, para que elas sejam encorajadas a lutar e que retomam a busca pela independência financeira”, acrescentou.

Sebrae

O diretor-presidente do Sebrae, Paulo do Eirado, também discursou e valorizou a busca pelo empreendedorismo. Disse que a iniciativa é um dos pilares da estrutura de sua instituição. “Muito passa pela Educação. Muitas vezes confundimos como uma questão de iniciativa individual, a esperteza para fazer negócios. A rigor o sucesso do empreendedor passa por um ambiente favorável. Temos lá, certamente, oportunidades iguais para homens e mulheres e isso está muito ligado a liberdade de cada um. Isso passa por uma visão de longo prazo e nisso a mulher leva grande vantagem”.

Senac

A diretora regional do Senac, Priscila Felizola, falou muito sobre a necessidade de se estimular o “espírito empreendedor” da mulher. “Quero destacar a iniciativa da deputada Maria Mendonça e agradecer o convite. Carrego o entendimento que já nascemos com o espírito empreendedor pelas diversas funções que realizamos. O maior exemplo é a quantidade de empresas que já são comandadas por nós, mulheres. É uma luta grande e contínua”, propagou.

Priscila Felizola

Em seguida, ela falou do número de matrículas de alunos do sexo feminino, comprovando o aumento do interesse das mulheres no querer empreender. Ela disse ainda que o Senac é uma instituição que foca na capacitação e na integração, buscando estimular sempre o espírito empreendedor, inserindo pessoas no mercado de trabalho, gerando renda. “Temos 130 cursos em diversos níveis”, pontuou.

ACESE

A vice-presidente da ACESE (Associação Comercial e Empresarial de Sergipe), Gleide Selma, disse que a proposta da deputada Maria Mendonça é um “reforço” na luta diária de todas as mulheres. “Sempre achei que já nascemos empoderadas, já pelo fato de termos o dom de gerar outro ser, mas é evidente que a mulher precisa de um reforço, de mais confiança em sua capacidade. Administrar uma casa é empreender! Agora é preciso que alguém diga a ela que é capaz, que pode fazer isso. Isso passa também pela Educação. A mulher precisa do apoio emocional e financeiro”.

Turismo I

Uma nova entidade surge para fortalecer o Turismo no Estado. Trata-se da “Associação Empresarial para o Desenvolvimento do Turismo de Sergipe”, cuja finalidade será a de captação, promoção e divulgação do Destino Sergipe no segmento de eventos, como meio de atração e fomento na geração de fluxo de negócios.

Turismo II

Para discutir e votar o projeto de estatuto social e eleição dos membros do Conselho de Administração, Conselho Fiscal e Diretoria, a Comissão Organizadora convocou uma assembleia de fundação, que acontecerá nesta segunda-feira (15), às 15h, no Hotel Del Canto.

Ministra

Com a presença da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, 25 Conselhos Tutelares de Sergipe receberão 1 kit com equipamentos para a Assistência Social. Cada kit contém 1 carro zero quilômetro, um refrigerador, um bebedouro, cinco computadores e uma impressora.

Entrega 

A entrega acontecerá no próximo sábado (13), às 10 horas, na Federação dos Municípios de Sergipe. A FAMES está localizada na rua Engenheiro Jorge de Oliveira Neto, 650, no bairro Coroa do Meio.

Estância

Será realizado no próximo dia 4, em Estância, a 31ª Corrida Rústica alusiva ao aniversário da cidade, que estará completando 171 anos de emancipação política. Com um percurso de 10 Km, saindo do Conjunto Santo Anrônio, o evento esportivo percorrerá as principais ruas da cidade até a Praça Barão do Rio Branco, ponto alto do evento onde será realizado a entrega da premiação em dinheiro, além de troféus e medalhas aos grandes vencedores dessa prova que celebra a existência da cidade interiorana que mais investe no esporte amador no estado de Sergipe.

Gilson Andrade

“É com imensa alegria que anunciamos o retorno da Corrida Rústica que celebra a nossa emancipação, afinal, somos a cidade que mais investe em esporte, exemplo disso foram as 24 competições esportivas que realizamos ao longo do ano passado, bem como as tantas outras competições que apoiamos, além é claro, do incentivo que temos dado aos nossos atletas através do Faz Atleta, projeto que visa assegurar a atividade e garantir que possam participar de competições fora do nosso município”, disse o prefeito.

Fábio Henrique I

O deputado Federal Fábio Henrique (PDT/SE) denuncia os abusos das empresas aéreas e solicitar a convocação da Agencia Nacional da Aviação Civil (ANAC), para que se pronuncie no Congresso. Essa denúncia também foi protocolada na Comissão de Turismo, onde o deputado sergipano é membro titular. Para ele, a aviação brasileira virou uma “esculhambação” e está promovendo um assalto ao bolso do povo.

Fábio Henrique II

“Hoje, o Brasil acordou com a notícia de que as companhias aéreas irão cobrar de quem tiver a bagagem de mão acima dos limites estabelecidos. Isso é um abuso. Eu falo isso, porque ontem fiz uma denuncia  na Comissão de Turismo e foi aprovado a convocação dos diretores na ANAC, e espero que eles venham para dizer alguma coisa”, discursou Fábio Henrique.

Aracaju/Salvador

Para o deputado o que ele apresentou na Comissão de Turismo é absolutamente vergonhoso. “Aracaju, que fica pouco mais de 250 Km de Salvador, tem uma única empresa que opera nessa rota que é a Azul. Ela está cobrando até R$12.801,00 em uma passagem aérea em voos que duram até 6 horas; porque o voo não é direto, ainda tem esse agravante”, destacou o deputado do PDT sergipano.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

Deixe seu comentário...