Defesa do emprego: João Daniel apoia greve dos petroleiros em nível nacional

Nossa mais alta solidariedade e o apoio à Federação Única dos Petroleiros, em nome de todos os petroleiros.

Compartilhe...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Print this page
Print

BRASÍLIA – Em discurso na Câmara na sessão desta quarta-feira, dia 5, o deputado federal João Daniel (PT/SE) externou seu apoio e solidariedade aos petroleiros em greve desde o último sábado, dia 1. O movimento tem como objetivo repudiar as demissões que a empresa tem feito e, também, na luta pela manutenção de direitos trabalhistas. A greve já acontece em 12 estados, atingindo mais de 30 locais paralisados, entre refinarias, fábricas e terminais. A categoria em Sergipe também aderiu à greve. Nesta quinta-feira paralisam os trabalhadores da Fafen e na sexta, os da Petrobras.

“Nossa mais alta solidariedade e o apoio à Federação Única dos Petroleiros, em nome de todos os petroleiros, trabalhadores e trabalhadoras, engenheiros e engenheiras, que no Brasil inteiro estão em greve”, disse o parlamentar em seu discurso. João Daniel ressaltou que esta é uma greve em defesa da empresa, dos empregos, do salário, da soberania “e do direito de o povo brasileiro ter uma empresa, como sempre foi, orgulho nacional, que é a Petrobras”, completou.

O deputado petista afirmou que, assim como os trabalhadores da empresa, não abrirá mão da defesa da Petrobras contra os entreguistas que hoje estão na Presidência da República a mando do presidente Jair Bolsonaro, a serviço das grandes empresas multinacionais. “Aliás, o Brasil está mandando petróleo bruto para os Estados Unidos e comprando os derivados refinados, porque está obedecendo à ordem das corporações internacionais, principalmente na área do petróleo”, denunciou.

João Daniel parabenizou a categoria pela mobilização e ressaltou que a greve deve ter o apoio de toda a sociedade brasileira. “Trata-se de uma greve em defesa da empresa, em defesa do petróleo, em defesa também de queda do preço do petróleo, que é alto, porque o Governo não tem controle nenhum a não ser de ser controlado pelos acionistas e pelas empresas internacionais”, afirmou.

Fonte & foto assessoria

Deixe seu comentário...