Deputado estadual Soldado Noelio (PROS-CE) fala em “insatisfação insustentável” de PMs com a proposta de reajuste do Governo do Ceará

O policial afirma já ter pedido reunião com o governador Camilo Santana (PT) três vezes, todas negadas.

Compartilhe...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Print this page
Print
SOLDADO NOELIO disse que vai propor um setor de triagem de denúncias na CGD (Foto: JUNIOR PIO/ AL-CE)

CEARÁ – O policial e deputado estadual Soldado Noelio (Pros) delineou que ânimos na corporação são de “insatisfação insustentável”. “São cinco anos sem reposição inflacionária. Aumentou gasolina, aumentou aluguel, aumentou escola, aumentou saúde e os militares estão sendo engolidos pela inflação”, lamentou.

Diante disso, o parlamentar de oposição afirmou que hoje os policiais e bombeiros estarão na Assembleia assistindo sessão “democraticamente”, momento no qual dirão a deputados que não concordam com o formato da proposta sinalizada pelo Governo do Ceará.

“A gente tem, por exemplo, caso de sargentos que o Governo tirou 3% do salário que repercutiu em 2020 janeiro, e o Governo ta mandando como proposta de aumento 2,4%. Estou na verdade reduzindo em 0,6%”, criticou.

A Assembleia Legislativa já havia sido ocupada recentemente, em 5 de dezembro de 2019, quando policiais e bombeiros fizeram protesto cuja demanda era pela reestruturação das carreiras. A organização do ato estimou 1,5 agentes naquele dia.

Noelio diz saber que a gestão estadual gastou muito. Enfatiza, porém, que não gastou corretamente. “Que escute sugestões para que possa gastar de forma mais justa e dê mais reconhecimento a quem se arrisca a vida para nos proteger”, apregoou.

O policial afirma já ter pedido reunião com o governador Camilo Santana (PT) três vezes, todas negadas. A expectativa dele é de que Júlio César (Cidadania) encaminhe os pedidos da parcela da corporação ao governador para negociação. “Se não quer me receber, que escute através da liderança do governo”, disse sobre o colega, a quem qualificou como “muito aberto” e com habilidade para conversar. Agora, a abertura tem que vir lá de cima, né? O deputado Júlio jamais vai impor decisão ao governo. Ele faz a mediação”, lembrou.

Perguntado se cenário similar ao de 2012 pode eclodir, de paralisação de policiais militares no Ceará, Noelio não respondeu diretamente. Em vez disso, assegurou que seguirá os colegas de profissão no rumo que eles tomarem.

“O que vai definir isso é o governo ter a humildade de ouvir o trabalhador. Camilo é filho do doutor Eudoro, que é um cara que tem experiência política muito grande e preocupação com a população”, disse

O povo online

Deixe seu comentário...