Deputado Francisco Gualberto diz que “loroteiro é quem manipula dados”

Gualberto aproveitou o pronunciamento para fazer duras críticas ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

SERGIPE – Após a fala do líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado estadual Georgeo Passos (REDE), que lhe taxou de “contador de histórias”, o também deputado Francisco Gualberto (PT) voltou à tribuna, na manhã dessa quinta-feira (7), para rebater o discurso proferido e novamente questionou a leitura feita pelo colega de parlamento sobre as finanças do Estado. Em seguida, Gualberto aproveitou o pronunciamento para fazer duras críticas ao governo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e às investidas dos Estados Unidos por uma intervenção na Venezuela.

Ao fazer seu discurso, Gualberto disse que Georgeo Passos chama de “lorotas” suas analogias, mas pontuou que “loroteiro é quem manipula dados, quem é manipulador de números!”, rebateu o governista, questionando o fato do colega deputado não considerar as despesas do Estado quando apenas exalta o crescimento na arrecadação.

“Fala da receita, mas não fala da despesa. Tem que ter hombridade para falar. Pega número falso! Dizer que o governo arrecadou mais, seja através do ICMS e dos repasses do governo federal, e não reconhecer que a despesa cresceu e que o Estado é deficitário?”, questionou o deputado petista.

Gualberto lembrou que Estados como Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Mato Grosso atravessam uma situação financeira difícil, muito parecido com Sergipe. “Para ser loroteiro precisa saber de lorota! É diferente de manipulador de dados, um mero burocrata que fica catando vírgula em lei para fazer mandato. Eu não sou! Georgeo aprende com o Capitão Bolsonaro, querendo censurar minha forma de falar! Encerre sua censura e vá para o Palácio do Jaburu. Uma coisa é analogia e outra é lorota”.

“Golpe na Venezuela”

Em seguida, o deputado petista avalia como um “desrespeito a soberania da Venezuela” uma espécie de articulação do governo dos Estados Unidos, com a contribuição dos governos da Colômbia e do Brasil. “Para se apossar do petróleo da Venezuela e abater qualquer processo progressista na América do Sul, o governo americano contrata pistoleiros ideológicos, com os presidentes da Colômbia e do Brasil, contribuindo com o desmonte da Venezuela. Dizem que defendem a democracia, as eleições diretas, mas reconhecem um presidente autoproclamado”.

Gualberto chegou a comparar as intervenções políticas junto ao governo venezuelano ao processo de impeachment da ex-presidente da República, Dilma Rousseff (PT). “Daqui de Sergipe salvaram-se apenas João Daniel (PT) e Fábio Mitidieri (PSD). Os demais votaram a favor do golpe! O Brasil aceitou pacificamente o golpe. A elite brasileira é cínica e confunde a opinião pública. O Golpe que querem dar na Venezuela é o mesmo que querem dar no Brasil. Apenas a forma é diferente, com incitação à violência popular”.

Por fim, o deputado questionou as “ajudas humanitárias” nas fronteiras com a Venezuela. “É o desrespeito à soberania de um povo! Tratam aquelas pessoas como cães famintos. Por que não vão ajudar no Haiti? Lá não tem petróleo! É o mesmo que querem fazer aqui, pondo a mão no fertilizante de Sergipe! Esta Casa precisa ter esta compreensão para não legitimar essas aberrações políticas do nosso País”.

Por Habacuque Villacorte

FOTO: Jadílson Simões

 

Deixe seu comentário...