ELEIÇÕES 2020: Orlando Rochadel poderá ser candidato a vereador com apoio do empresário Luciano Barreto

Orlando Rochadel já foi longe dentro do Ministério Público.

(Foto: arquivo Site Mira Geral)

A informação é de uma fonte da Coluna Aparte com demasiada inserção nos bastidores da vida política e partidária do Estado de Sergipe.

De acordo com essa fonte, o promotor de Justiça Orlando Rochadel, do Ministério Público do Estado de Sergipe, tem na gaveta das suas vontades pessoais um projeto de fazer carreira política, por gostar muito da área e dessa atividade.

De fato, por natureza, Orlando Rochadel é uma figura política. Metido a zen – ligado ao social. Como promotor, foi quase comovente a luta dele para construir a Escola Vitória de Santa Maria, no Bairro Santa Maira, ex-Terra Dura. É afeito a um modo de vida meio autoajudeiro.

E segundo essa fonte, o projeto político de Orlando Rochadel seria pra já: disputaria um mandato de vereador de Aracaju em 2020. Será? Alguns questionarão se vale a pena trocar uma carreira exitosa no judiciário – feito um Sergio Moro da magistratura federal – pela atividade política, e começar por um mandato de vereador da Capital.

Alguns promotores de justiça colegas dele consultados dizem que a informação passada pela fonte a essa Coluna é, sim, de conhecimento dos bastidores do Ministério Público de Sergipe.

Para construir uma candidatura, Orlando necessitaria renunciar à carreira do MPE – a não ser que se amparasse numa medida liminar, como bem lembrou um dos seus colegas. Ele tem apenas 21 anos de atuação no MPE, o que certamente dificulta uma aposentadoria, embora venha de uma pré-carreira de banco.

Segundo alguns desses promotores, o próprio Orlando Rochadel já teria discutido a possibilidade de uma ação política na prática com o empresário Luciano Barreto, presidente da Celi e da Aseopp, de quem é muito amigo e que gosta muitíssimo de política.

Apesar de ser bem mais novo do que muitos dos seus colegas promotores na atividade – e ele é do concurso de 1997 -, Orlando Rochadel, o “político”, já foi longe na carenagem social do MPE.

Ele foi, por exemplo, no começo dessa década, o primeiro promotor de justiça a “presidir” o MPE, ao eleger-se procurador-geral da instituição numa época em que o exercício desse mando era privativo dos procuradores de justiça, que estão para o MPE assim como os desembargadores estão para o Poder Judiciário. É óbvio deduzir que os promotores estariam como juízes.

Hoje, Orlando ocupa um posto estratégico no Conselho Nacional do Ministério Público. É o corregedor-geral desta instituição, com abrangência sobre todos os ministérios públicos – o federal, os estaduais, o do trabalho.

A propósito dessa sua vocação política “abafada”, Orlando foi consultado nesta quinta-feira pela Coluna Aparte. “Orlando, um político muito bem informado de Sergipe me disse que você sonha uma carreira política. E que ela se iniciaria em 2020, com a disputa de um mandato de vereador de Aracaju. Até onde tem pertinência nisso?”.

Isso lhe foi mandado por mensagem de WhatsApp. Ele leu, fez cara de paisagem e nada respondeu. Está tudo bem.

FONTE: JL Política

Deixe seu comentário...