Em nota, SMTT contesta INMETRO, mas se cala quanto a devolução de dinheiro arrecadado ilegalmente

Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que fiscalizou e reprovou equipamentos eletrônicos instalados em quatro avenidas.

ARACAJU/SE – A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) emitiu uma nota pública rebatendo a conclusão do Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS) – Órgão Delegado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que fiscalizou e reprovou equipamentos eletrônicos instalados em quatro avenidas.

Foram reprovados pelo Inmetro os radares das avenidas: Beira Mar (próximo à Embrapa) – sentido Praia e sentido Centro, Avenida Etelvino Alves (próximo ao condomínio Alamedas Jardins) – sentido Avenida Augusto Franco, e Avenida Tancredo Neves (próximo à Embrapa) sentido Rodoviária Nova.

Na nota, a SMTT discorda das conclusões do órgão do Inmetro, garante que todos os radares passaram por fiscalização seguindo as normas de trânsito, mas não informa se o dinheiro arrecadado ilegalmente será devolvido aos motoristas multados indevidamente.

Confira a nota da SMTT

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Aracaju estranha as informações divulgadas pelo Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS) – Órgão Delegado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), na tarde desta terça-feira, 8, que apontam irregularidades em três radares da capital.

Os radares da avenida Beira Mar, por exemplo, foram aferidos e aprovados pelo Inmetro nos dias 16 e 17 de setembro, conforme consta em laudo, que comprova a regularidade dos equipamentos. Ou seja, o Inmetro reprovou os radares, 10 dias após emitir o laudo que comprova a regularidade dos equipamentos. Vale ressaltar que os lacres implantados pelo Inmetro nos radares não foram violados.

Os radares das avenidas Etelvino Alves de Lima e Tancredo Neves também foram aferidos e aprovados pelo Inmetro este ano, nos meses de fevereiro e junho respectivamente.

A SMTT reforça que segue as deliberações do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que determina que as aferições devem ser feitas, obrigatoriamente, com peridiocidade máxima de 12 meses e, eventualmente, conforme determina a legislação metrológica em vigência, e que todos os radares da cidade estão com as aferições em dia.

A SMTT preza pela transparência e informa que já solicitou à empresa permissionária uma nova aferição nos radares, junto com o Inmetro, e que continua à disposição para qualquer esclarecimento.

Deixe seu comentário...