Em seu último ato como Deputada “Thaíse Guedes (PTB/AL)” nomeia a irmã, tia, marido e babá, MP vai investigar

Familiares foram exonerados na semana passada.

ALAGOAS – A deputada Thaise Guedes (PTB) é alvo de uma investigação do Ministério Público Estadual (MPE), que apura suspeita de prática de nepotismo empregar parentes de até terceiro grau na administração pública (marido, babá, irmã e a tia da parlamentar).

De acordo com o MP-AL, a apuração ficará sob a responsabilidade do Núcleo de Defesa do Consumidor.

A deputada Thaise Guedes, que não se reelegeu na eleição de 2018, nomeou o marido, babá, irmã e a tia para exercerem cargos em comissão de assessores no âmbito do Poder Legislativo como o último ato parlamentar. Os salários chegavam a R$ 25 mil cada, chegando a um valor total de R$ 100 mil.

A denúncia se tornou pública na semana passada após divulgação das nomeações no Diário Oficial do dia 02 de janeiro 2019.

O caso ganhou repercussão depois que foi exonerados todos os parentes e babá de Thaíse Guedes, publicada na edição da última sexta-feira (18) do Diário Oficial Eletrônico da Assembleia Legislativa (ALE).

Na publicação, constam os atos de exoneração assinados pelo diretor de Administração de Pessoal da Assembleia, Darlan Cavalcante das Neves. Os servidores comissionados exonerados são Rodrigo Manuci do Carmo, Thayane de Souza Guedes, Edna Maria dos Santos Silva e Rosimeire do Nascimento Azevedo.

Thaise Guedes indiciada

Segundo a Gazetaweb, a deputada estadual Thaise Guedes já foi indiciada pela Polícia Federal (PF), por suspeita de participação em um esquema criminoso que desviou recursos da Assembleia Legislativa de Alagoas entre os anos de 2010 e 2013. A parlamentar e outros deputados são investigados por desvios que podem ter provocado um prejuízo de até R$ 15 milhões aos cofres públicos. De acordo com a PF, servidores vinculados ao gabinete da deputada receberam indevidamente valores que somam R$ 220 mil.

Por Eduardo Ferreira

Deixe seu comentário...