Empregabilidade: evento discute mudanças em carreiras

Criatividade, flexibilidade cognitiva e gestão de pessoas são as características exigidas.

ARACAJU/SE – Criatividade, flexibilidade cognitiva e gestão de pessoas são as características exigidas pelo mercado de trabalho, cada vez mais mutável. Para alinhar os cursos superiores ofertados às novas demandas de trabalho, a Universidade Tiradentes reuniu professores e coordenadores no evento que discutiu empregabilidade, na noite desta quarta-feira (23).

De acordo com a gerente do Unit Carreiras, professora Janaína Machado, palestrante do evento, cada vez mais, o profissional terá que se reinventar constantemente e a transição de carreira será algo comum.

“O mercado de trabalho está exigindo habilidades e competências e isso precisa ser desenvolvido em sala de aula. Vamos chamar atenção sobre o que é empregabilidade, como o mercado se apresenta, qual o cenário, pessoas. A educação também mudou e precisa ser repensada. Trabalhar é resolver encrenca. Estamos preparando nossos alunos para isso? O professor tem que se perguntar isso”, disse.

Janaína também ressaltou que as mudanças exigem pesquisa e disposição para aprender, haja vista que os modelos de profissão estão sendo quebrados. “Estamos em fase de transição e sem modelo. Precisamos pesquisar e estudar. Por exemplo, o curso de Comunicação hoje é diferente do curso de dez anos, os impressos estão em declínio. O professor precisa pensar, antes da aula, como aquele conteúdo pode ser útil no mercado de trabalho. Se vale a pena passar o conteúdo dessa forma ou vale alterar. Temos que ter flexibilidade cognitiva para estudar tudo de novo porque o que era regra mudou”.

O superintendente do Grupo Tiradentes, Saumínio Nascimento corroborou o discurso de Janaína ao destacar que as grades curriculares mudam conforme as novas necessidades de mercado. “De acordo com o que o mercado demanda, a gente altera nossas grades, sem perder de vista as orientações do Ministério da Educação, para que o curso esteja conectado com a exigências do mercado de trabalho. É um trabalho de pesquisa constante”.

Coordenador do Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ), o professor Charles Albert participou do evento e considerou importante o debate. Ele informou que o curso de Direito busca aplicar novas metodologias ativas para capacitar melhor o aluno. “No Direito, a gente observa a ansiedade dos acadêmicos em chegar na fase de estágio. Precisamos executar ações para que possa conhecer a prática desde o início do curso. Hoje, temos parceria com o Tribunal de Justiça, Defensoria Pública, Tribunal Regional do Trabalho e Procuradoria do Município de Aracaju”.

FONTE & FOTO: Assessoria

Deixe seu comentário...