Ezequiel é inocentado em mais uma ação movida por Silvany

O ex-prefeito de Capela, Ezequiel Leite (PR), foi inocentando pelo Tribunal Regional Federal.

CAPELA/SE – O ex-prefeito de Capela, Ezequiel Leite (PR), foi inocentando pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), em mais uma ação de improbidade administrativa movida pela atual Prefeita de Capela, Silvany Sukita. Ezequiel, juntamente com a ex-primeira-dama e ex-secretária de Saúde, Sônia Penalva, e a ex-chefe de Departamento de Contabilidade e Finanças do município, Heisa Mariane Santos, tiveram parte de seus bens bloqueados no início de 2018 por decisão da 9ª Vara da Justiça Federal.

Em uma denúncia raivosa e vingativa movida pela prefeita de Capela, os réus teriam usado irregularmente verbas federais repassadas pelo Ministério da Saúde para construção de três Unidades Básicas de Saúde nos povoados Barracas, Terra Dura e Quem Dera, no valor, à época, de R$ 244,8 mil, que, atualizado e corrigido monetariamente, resultaria em um suposto prejuízo de R$ 351,8 mil.

Ezequiel conseguiu provar para o Ministério Público Federal que os recursos foram devidamente repassados pelo Ministério da Saúde, para a construção das três Unidades Básicas de Saúde, mas não houve tempo hábil na gestão para que as obras fossem realizadas e o dinheiro ficou preservado nos cofres da administração municipal.

O TRF 5 determinou o desbloqueio dos bens dos réus baseado no parecer do Ministério Público Federal reconhecendo que não houve qualquer dano ao erário público de Capela, já que Ezequiel deixou apenas na conta da Secretaria de Saúde do Município mais de R$ 700 mil. Para ser concluso, o processo requer apenas uma ratificação a ser feita pelo desembargador federal em Recife (PE).

Segundo Ezequiel Leite esta foi mais uma derrota da prefeita Silvany Sukita que, “coleciona inverdades” ao seu respeito. “Eu digo e repito: o povo de Capela sabe quem é decente, quem é sério e quem é gestor; e sabe diferenciar da molecagem, da mentira. O povo sabe quem é homem de bem e quem é bandido! A gente fica feliz por essa decisão favorável, mas fica triste em ver as pessoas jogando sujo apenas para prejudicar as outras”.

“Deixamos nos cofres da prefeitura um valor bem maior do que consta nessa denúncia infundada de Silvany. O dinheiro estava depositado na conta da Secretaria de Saúde do município, com o mesmo CNPJ, sendo que apenas não era na conta específica. Eu faço da política uma forma de mudar a vida das pessoas. Sou gestor e não dependo do erário público. Silvany apenas esquece que um dia também será ex-prefeita e sofrerá as consequências de seus atos”, completou Ezequiel.

Por Habacuque Villacorte

FOTO: Assessoria

Deixe seu comentário...