Gilmar conversa com Belivaldo, vai ao TCE e pede cautela aos reformados

Hoje eu tive o cuidado de conversar com o governador Belivaldo Chagas, que ainda não havia sido notificado.

SERGIPE – Com a decisão do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), que determinou ao Governo do Estado a suspensão dos efeitos da Lei Complementar 310/2018, que concede benefícios aos policiais militares de Sergipe, o deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), nesta segunda-feira, 29, para pedir cautela aos policiais.

“Quero informar aos amigos militares que nós estamos atuando. Não vão na onda de quem está desde a última sexta-feira querendo radicalizar. Hoje eu tive o cuidado de conversar com o governador Belivaldo Chagas, que ainda não havia sido notificado, e depois fui ao TCE e conversei com o conselheiro Carlos Alberto Sobral de Souza, de onde saiu a decisão. E sobre esta decisão há um entendimento nosso, nesta Casa, propondo a formação de uma Comissão Suprapartidária em defesa do subsídio, que todos nós lutamos para que fosse aprovado e que contou com a boa vontade e determinação do governador”, disse Gilmar.

O parlamentar entende que os reformados militares, bombeiros e policiais estão assustados e foram pegos de surpresa, mas acredita que há toda uma possibilidade de o benefício ser pago. “Acredito na solução do problema, mas volto a pedir que não radicalizem. Nós participamos do movimento, mas teve também a participação direta e de muita boa vontade do governador. Não transformem em adversário quem foi um grande aliado, ainda em 2018, dos reformados. Nós todos que participamos da luta dependemos muito neste instante da boa vontade do governador, pois há uma cautelar em mãos. Vamos continuar conversando e tentando convencer, com os demais deputados, as autoridades legitimadas a rever a situação”, disse Gilmar.

Por Ascom Parlamentar

FOTO: Jadilson Simões

 

Deixe seu comentário...