Homem de gelo? O que falta para “derreter” o “coração gelado” de Belivaldo?

E a política tem o dom de envolver uma série de sentimentos e emoções.

POLITIZANDO – HABACUQUE VILACORTE – Os agentes públicos costumam dizer que a política é uma “ferramenta de transformação social”, que deve ser usada para mudar o meio, para fazer o bem ao próximo e aos mais necessitados. Jamais essa categoria fora tão agredida e questionada como nos dias atuais. Vivemos em um novo tempo, na era das redes sociais, onde a informação – nem sempre a mais precisa – chega até nós em uma velocidade até então inacreditável. E a política tem o dom de envolver uma série de sentimentos e emoções.

Em um debate político há sempre quem tente ter mais razão que o oponente, é muito comum ver alguém criticando o comportamento, a postura ou o posicionamento de terceiros. Por esse embate passam profundas e ricas discussões, sempre com “recheio” de conhecimento. A divergência aqui acaba sendo “palavra de ordem”, é saudável e necessária para que se estabeleça a verdadeira democracia. E em meio a este “sincretismo”, se prevalecer o bom senso, já terá valido a pena…

Batizado de “pescoço grosso” por alguns de seus adversários, o governador Belivaldo Chagas (PSD) é um homem de posição política, que realmente “tem lado”, mas que tem dificuldades claras de conviver com quem lhe questiona, com quem se opõe a seus desejos e caprichos. O “galeguinho” passou longos 30 anos, aproximadamente, sendo aliado e um dos maiores defensores dos Valadares; após uma divergência política, hoje não gosta nem de ouvir falar nos antigos correligionários…

Eleito com mais de 700 mil votos em 2018, em uma vitória inquestionável, este colunista aposta que nem o próprio Belivaldo esperava um resultado tão expressivo. Aquele voto de confiança dado pela maioria dos sergipanos votantes deveria ter comovido o “coração gelado” do governador. Mas aquilo parece ter enchido sim o peito do “galeguinho” de vaidade. Para quem foi vitorioso com o discurso que “tinha chegado para resolver”, até agora parece não ter encontrado a “fórmula” para os problemas.

Além de uma vitória massacrante nas urnas, tem outro fato que ficará marcado na gestão do governador Belivaldo: o dia em que o empresário Sadi Gitz, da Cerâmica Escurial, revoltado com algo de seu governo e talvez de alguma promessa não cumprida, diante de um auditório lotado de autoridades e de um ministro do Estado, decidiu abruptamente ceifar sua própria vida. Um fato lamentável, incompreensível, que comoveu todo Sergipe. Mas, para o “galeguinho”, é “vida que segue”…

Agora, após quase uma semana ininterrupta de chuvas, ficou difícil de separar o “rico do pobre” porque todos foram atingidos em Sergipe com os efeitos das enchentes. A “capital da qualidade de vida” ficou submersa. Da Zona Norte à Zona Sul. No interior o “desastre” foi ainda maior. Em Riachuelo, por exemplo, centenas de famílias perderam praticamente tudo, ficaram desabrigadas. A sociedade civil se mobilizou para ajudar rapidamente. O “homem de gelo” só se “mexeu” após seu Palácio ser “inundado” por críticas. Resta saber o que falta acontecer para “derreter” o “coração gelado” de Belivaldo? Mais amor e menos “ranço”, governador…

Veja essa!

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB) foi ao bairro Jabotiana, na manhã dessa terça-feira (16), para lançar um mutirão de limpeza na região como parte de ações de recuperação da cidade em decorrência das chuvas. Quis fazer um discurso político prometendo o que ainda não fez e, logo no princípio, foi vaiado.

E essa!

Em um vídeo o prefeito disse que, pela quantidade de chuva, Aracaju “suportou bem”. Com todo respeito ao gestor da capital, faltou um pouco mais de sensibilidade diante de tantas famílias desabrigadas e com perdas materiais. Botar o “casaco e as galochas” e ir para a rua é obrigação do gestor. O povo quer resultados efetivos.

Riachuelo

A situação do município é de calamidade. A prefeita da cidade, em entrevistas, não escondeu a emoção e a tristeza diante de tanta destruição. A cidade ficou sem água potável e a pouca ajuda inicial que chegou se deu pela ação da sociedade civil organizada. Quem “chegou para resolver”, apenas assistia a tudo, em cima do muro…

Antes tarde…

O governador Belivaldo Chagas visitou o município de Riachuelo na tarde dessa segunda-feira (15), durante a liberação da ponte antiga que dá acesso à cidade e, consequentemente, restabelecendo o abastecimento de água potável no município. As cabeceiras de duas pontes caíram após as chuvas e para chegar a Riachuelo tudo ficou bastante comprometido.

Outras pontes

Também caíram as cabeceiras da ponte que liga os municípios de Santa Rosa de Lima a Divina Pastora e da ponte do povoado Conceição, no município de Nossa Senhora Aparecida. As rodovias estaduais, que já estavam em péssimo estado de conservação, estão em uma situação ainda mais crítica.

João Alves Filho

Antes do fechamento da coluna chegou a informação de que o ex-governador João Alves Filho (DEM) sofreu um mal súbito na manhã dessa terça-feira e foi internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de um hospital em Brasília (DF), onde vem residindo com a esposa e senadora Maria do Carmo Alves (DEM). João está entubado e sob acompanhamento médico.

Exclusiva!

Já em tom de desespero, após dias chorosos e depoimentos surpreendentes, um conselheiro do Tribunal de Contas atua abertamente junto a alguns setores da imprensa e de movimentos sindicais para tentar reverter algo que parece ser inevitável. O Direito é sempre bom, para os justos…

 Bomba!

Como Sergipe é “terra de muro baixo”, onde todos se conhecem, o conselheiro aposta em “confundir” para “tumultuar”, quando está evidente para quem conhece um pouco de Direito que a “regra é clara”.  É bíblico: Mateus 7,12 diz que “Tudo aquilo, portanto, que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles, pois esta é a Lei e os Profetas“.

Mitidieri e o PT

Em entrevista na FAN FM, nessa terça-feira (16), o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) disse que “contra o trabalhador é quem vota contra a Reforma da Previdência”. Ele pontuou que votou com sua consciência e que, apesar da aliança política com o PT, em Sergipe e em Aracaju, discorda das críticas que estão sendo feitas.

Mandou recado I

Antes de concluir a entrevista, Mitidieri disse que ainda espera pela inclusão de Estados e Municípios no texto da Reforma no Congresso, caso contrário, “vai querer ver o posicionamento do PT em Sergipe”, na votação da Reforma que teria de ser apresentada pelo governador Belivaldo Chagas na Assembleia Legislativa.

Mandou recado II

Mitidieri não quis “render o assunto”, mas chegou a dizer que em Sergipe “o PT quer ser governo e o governador vai ter que apresentar sua Reforma (da Previdência). Prefiro aguardar o tempo para me posicionar”. O deputado ficou, visivelmente, incomodado com as críticas de alguns de seus aliados.

Lixo de Aracaju

Em entrevista ao radialista Gilmar Carvalho, também nessa terça (16), na FM Jornal, o advogado da empresa Tecnal, vencedora da licitação do lixo da capital, anunciou que está apenas esperando a publicação dos acórdãos do Tribunal de Justiça, na decisão da semana passada, para requerer o cumprimento imediato pela Prefeitura de Aracaju, que insiste em manter o serviço com a empresa TORRE.

Acese

Após o sucesso do Projeto Tô no Centro, a Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (ACESE), lançará na próxima segunda-feira (22), um novo serviço, que já contará desde o início com mais de 100 empresas que firmaram uma parceria com a entidade e concederão um desconto de até 40% em seus produtos e serviços: o Cartão de Benefícios ACESE TOTAL.

Marco Pinheiro

Segundo o presidente da ACESE, Marco Pinheiro, a proposta é que o ACESE TOTAL seja algo além de um cartão de benefícios. “Precisamos estimular não apenas a economia local, mas também que articule o intercâmbio entre empresas, por isso o cartão de benefícios não foi pensado apenas para o empresário, mas também para o trabalhador, que terá o mesmo desconto disponível, nos mesmos estabelecimentos”, explicou.

Desconto significativo

“O Cartão de Benefícios oferece aos usuários um desconto significativo, de maneira que todos ganham: quem vende, pois tem a oportunidade de aumentar o seu fluxo de vendas, e quem compra, que consegue um desconto atrativo em diversos serviços”, complementou.

Amese I

O presidente da Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese) oficiou o Senador Alessandro Vieira (Cidadania) para que o mesmo vote favoravelmente à PEC 113/2015. Por esta proposta de emenda à Constituição Federal, policiais militares e bombeiros da ativa que ocupem mandado eletivo poderão retornar às suas corporações de origem após o término do mandato.

Amese II

Atualmente, qualquer policial militar da ativa que ocupe cargo eletivo é transferido compulsoriamente para a reserva remunerada tendo sua carreira interrompida, além receber proventos proporcionais ao tempo de contribuição (redução da remuneração). “Entendemos que o constituinte, lá no distante ano de 1988, cometeu exageros ao discorrer tal tratamento discriminatório à nossa categoria”, pontua o presidente da Amese, sargento Jorge Vieira.

Fala Vieira!

O presidente da entidade disse ainda que “somos os únicos servidores da segurança pública que sofre este tipo de tratamento. Um policial civil, federal, guarda municipal que seja eleito, ao final do mandato retorna à sua força de origem e segue sua carreira até se aposentar. O senador Alessandro Vieira é parceiro dos policiais militares e bombeiros e já se posicionou favorável ao projeto”, destacou.

CRÍTICAS E SUGESTÕES

habacuquevillacorte@gmail.com e habacuquevillacorte@hotmail.com

 

Deixe seu comentário...