Idosos são as principais vítimas de queda registrados no Huse

A terceira idade traz limitações que podem colocar em risco a vida dos idosos.

SERGIPE – No ano de 2018, foram registrados 9.860 vítimas de queda das mais diversas causas. Um fato preocupante é que grande parte das vítimas são idosos com idades entre 60 e 69 anos

A terceira idade traz limitações que podem colocar em risco a vida dos idosos, a queda é uma delas e serve como um alerta de que existe algo errado no ambiente domiciliar, externo ou com o quadro clínico do idoso. No Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), unidade gerenciada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), dados do Sistema Integrado de Informatização de Ambiente Hospitalar (Hospub), no ano de 2018, apontam que foram registrados 9.860 vítimas de queda das mais diversas causas. Um fato preocupante é que grande parte das vítimas são idosos com idades entre 60 e 69 anos.

Nos dois primeiros meses desse ano (janeiro e fevereiro de 2019) o Huse já realizou 1.785 atendimentos a vítimas de queda. A aposentada Ana Claúdia Santana, 65, foi uma delas. “Eu tenho que ser honesta e dizer que a culpa foi minha por ter desobedecido a minha filha. Ela me pediu tanto para não fazer as atividades em casa e eu fui lavar a área do quintal com água e sabão. A queda foi inevitável, eu desequilibrei e escorreguei com o balde de água na mão e acabei quebrando o punho. Foi uma agonia grande, mas graças a Deus e aos médicos que encontrei aqui deu tudo certo e estou sendo muito bem tratada”, contou a aposentada.

A dona de casa Cícera Silva, 70, escorregou enquanto estava tomando banho. “Quando passei o shampoo fechei os olhos e me deu uma tontura, eu procurei um lugar para me segurar e acabei segurando no rodo que é leve e não aguentou meu peso. Não deu outra, cai e quase quebro o box de vidro com os pés. O meu joelho está doendo muito, mas, de acordo com os exames, foi só uma luxação. Todo cuidado é pouco com o idoso, principalmente dentro de casa”, explicou.

Prevenção

De acordo com o coordenador do Pronto Socorro do Huse, Tony Nino, semanalmente diversos casos de queda envolvendo idosos são registrados no hospital. Ele diz que alguns cuidados são essenciais para a prevenção desses acidentes. “Na maioria das vezes, a queda envolvendo o idoso acontece por causa da estrutura óssea frágil. Por isso, a família deve ter todo o cuidado com o idoso adaptando os lugares da casa de acordo com suas dificuldades. Os casos que mais chegam aqui no Huse são vítimas com fratura de fêmur, tíbia, punho, joelho, quadril e até mesmo com pancadas na cabeça, decorrente da queda de costas”, pontuou.

Fazer uma atividade física, reposição de cálcio, exposição ao sol, além de alimentação saudável e eliminação de fatores de risco como obesidade, sedentarismo, alcoolismo e tabagismo são fundamentais para garantia de ossos fortes e saudáveis. Para a médica geriatra do Huse, Juliana Santana, algumas dicas são fundamentais para que o idoso tenha o cuidado necessário principalmente dentro de casa.

“Para se prevenir quedas a gente deve ter dois olhares, um para o olhar externo ao idoso que é o olhar do ambiente e o olhar interno que são questões relacionadas ao idoso. Uma casa segura, um piso não escorregadio, boa iluminação, poucos móveis, evitar fios atravessados na casa, evitar tapetes, cuidados com animais na casa, barras de segurança, deixar os objetos de uso do idoso ao alcance dele, massa muscular boa, alimentação correta, dentro do horário, cuidar da higienização, entre outros”, informou.

Tratar as doenças cardiovasculares como a arritmia, insuficiência cardíaca que podem aumentar risco de queda, questões sensoriais como visão e audição que estão relacionadas ao equilíbrio e podem aumentar o risco de queda, artrose de joelho e desidratação.

FONTE: Flávia Pacheco

FOTO: Assessoria

 

Deixe seu comentário...