Mágica paulista para baratear o gás já é realidade em Sergipe

Imediata de uma estação de regaseificação de GNL no litoral.

SERGIPE – A indústria paulista conseguiu reduzir o aumento do preço do gás natural de 35% para 23%, redução que passa a vigorar ainda no início de março. Essa alta estimulou o início das discussões naquele Estado sobre a construção imediata de uma estação de regaseificação de GNL no litoral, cujo objetivo será romper o monopólio de fornecimento do insumo pela Petrobras, que não respeita a paridade internacional.

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES), Eduardo Prado de Oliveira, “enquanto lá nasce a ideia, aqui ela em pouco tempo será realidade. Por isso, não podemos perder a oportunidade de proporcionar a nossa indústria o gás a preços competitivos”, afirma.

O terminal de regaseificação em Sergipe entrará em operação com a Usina Termoelétrica Porto de Sergipe I, estabelecida na Barra dos Coqueiros, região metropolitana de Aracaju. E ainda há mais, recentemente foi descoberta uma ampla oferta de gás a poucos quilômetros da nossa costa, que será explorada por outras empresas além da Petrobras e que terão o condão de aumentar de forma expressiva a nossa produção. O Estado é um dos maiores produtores do Nordeste.

Redução da Petrobras no mercado de gás

Foi noticiado no jornal Valor Econômico, que o governo federal, a Petrobras e a Agência Nacional de Petróleo (ANP) iniciaram conversas, embora ainda preliminares, sobre a implementação de um amplo programa de abertura do mercado de gás natural no país. Dentre as propostas colocadas na mesa, estão medidas para forçar a petroleira estatal a se desfazer de todos os seus ativos de transporte e distribuição, além de reduzir sua participação na comercialização.

Além disso, a renovação antecipada dos contratos de concessão das distribuidoras privatizadas a começar pelo Rio e São Paulo. Em Sergipe, o atual contrato de concessão, datado de 1993, é uma barreira para a expansão do nosso desenvolvimento industrial.

Nesse sentido, o setor produtivo sergipano entende que é fundamental remover todas as ineficiências nessa área, pois significa caminhar rumo à geração de empregos, ao aumento dos investimentos, à atração de novas empresas e por fim, ao crescimento sustentável da economia sergipana.

Unidade de Comunicação do Sistema Fies – UNICOM

Deixe seu comentário...