Ministério Público sedia “Curso de Segurança Orgânica”

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Barreto d'Ávila Fontes fez a abertura do evento.

SERGIPE – Durante toda a manhã do último dia 1º, na sala da Escola Superior do Ministério Público – ESMP, integrantes da Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiro Militar, Sistema Penitenciário de Sergipe, Distrito Federal, Ceará, Amazonas, Maranhão, Rio Grande do Norte, Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Amapá e Tocantins, além do Ministério Público de Sergipe e Ministério Público, participaram do “Curso de Segurança Orgânica”, realizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em convênio com a Procuradoria Geral de Justiça e com a Secretaria de Segurança Pública do Estado de Sergipe.

O procurador-geral de Justiça, Eduardo Barreto d’Ávila Fontes fez a abertura do evento, saudou os presentes, agradeceu a presença de todos e falou da importância do curso. ““Tratando-se de inteligência policial, devemos ter a integração como prioridade. Por isso, através dessa parceria, estimulamos a produção qualificada de conhecimento entre as Instituições e viabilizamos o intercâmbio de informações de natureza sensível”, pontuou o PGJ.

Ministrado pelo secretário adjunto de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, José Washington Luiz Santos, o curso possibilitou aos agentes já iniciados na Atividade de Inteligência de Segurança Pública, o aprimoramento no processo de salvaguardar dados, informações e conhecimentos de interesse da sociedade e do Estado, por meio de exercícios práticos, relacionados à técnica ministrada para a elaboração de um Plano de Segurança Orgânica.

“É imprescindível direcionar maior preocupação e cuidado para a área de segurança como um investimento preventivo. A informação, hoje, é um bem de inestimável valor, daí a importância da proteção do conhecimento, da proteção da atividade. Segurança orgânica consiste no conjunto de procedimentos, atitudes e comportamento destinados a proteger os ativos institucionais. A segurança orgânica está dentro da contrainteligência e tem por objetivo detectar e obstruir qualquer acesso indevido”, informou o secretário integrante da equipe do ministro Sérgio Moro.

Para o idealizador da realização do curso no MP, o diretor do Gabinete de Segurança Institucional – GSI, promotor de Justiça Rogério Ferreira da Silva, foi uma honra para o MP sediar o curso de extrema relevância. Ele agradeceu a todos os presentes e salientou: “É de fundamental importância que todos os órgãos públicos adotem uma política de segurança, independente do grau de sigilo do material que é produzido, manuseado, transmitido ou tratado, por meio de aplicação de um Plano de Segurança Orgânica adequado”, destacou.

Fizeram parte da mesa de honra, além dos já citados, o diretor da ESMP, Newton Silveira Dias Júnior; José Inephanio Cardoso, diretor do Sistema de Inteligência de Segurança Pública – Cogesisp; a delegada geral da Polícia Civil, Katarina Feitosa e o coronel Edênisson Santos da Paixão, chefe da PM2 que representou, na ocasião, o coronel Marcony Cabral Santos, comandante geral da PM.

Ministério Público de Sergipe

 

Deixe seu comentário...