Mortes no trânsito podem ser reduzidas com aplicação da Lei

Em Sergipe de janeiro a outubro de 2018, já morreram 376 pessoas vítimas do trânsito e mais de 2.400 ficaram inválidas.

SERGIPE – De janeiro a outubro de 2018, 376 pessoas morreram vítimas do trânsito em Sergipe e mais de 2.400 ficaram inválidas. Muitas dessas vidas, seguramente, poderiam ter sido poupadas não fosse a imprudência de alguns condutores que, além de provocar dano irreparável às famílias, ainda geram prejuízo financeiro aos cofres públicos, já que muitas dessas vítimas são levadas aos hospitais públicos, com todo o tratamento financiado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Eu lamento muito que essas 376 famílias tenham que receber um dinheiro (o PDVAT), à custa da vida de um ente querido. Sem contar, outras centenas de pessoas que ficaram impossibilitadas de levar uma vida normal por causa de acidente no trânsito”, afirmou a deputada estadual Maria Mendonça (PSDB), autora de uma Lei, já sancionada pelo Executivo, que pune motorista que causar acidentes sob a influência de álcool ou qualquer outra substância psicoativa.

A deputada observou que muitos desses infortúnios são causados pela inconsequência de condutores que ainda insistem em beber e dirigir. “Existe uma pesquisa divulgada recentemente pelo Ministério da Saúde apontando que mais de 22% dos condutores envolvidos em acidentes de trânsito apresentavam sinais de embriaguez ou confirmaram consumo de álcool”, salientou, ao ressaltar não ser admissível encarar a violência no trânsito como uma “fatalidade”.

Um dos dispositivos da nova Lei estabelece que a obrigação do ressarcimento das despesas se aplicará quando o condutor for também enquadrado penalmente pelos crimes de homicídio e lesão corporal devido ao sinistro. “É preciso ter responsabilidade com a vida humana”, pontuou Maria, ressaltando que a aplicação da lei será acompanhada de campanhas de conscientização. “A Organização Mundial da Saúde estima 1,9 milhão de mortes no trânsito em 2020, se nada for feito para educar a sociedade quanto à conduta adequada ao volante”, ponderou.

FONTE & FOTO: Assessoria Parlamentar deputada Maria Mendonça

Deixe seu comentário...