Parceria fortalece a agricultura sustentável em comunidades quilombolas

Um trabalho conjunto entre a equipe do escritório regional de Propriá.

Um trabalho conjunto entre a equipe do escritório regional de Propriá da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Prefeitura de Municipal de Amparo do São Francisco e membros do Território Quilombola Lagoa dos Campinhos vem dando certo quando o assunto é agricultura sustentável. É que a parceria viabilizou a construção de uma nova matriz produtiva na perspectiva da sustentabilidade e geração de renda para 16 famílias de produtores rurais, das comunidades quilombolas Pontal, Lagoa Seca, Serraria e Crioulo.

A experiência conjunta consiste no desenvolvimento de uma produção diversificada de alimentos, na perspectiva orgânica que inclui hortaliças e culturas como a do milho, feijão, mandioca e maracujá doce, dentre outras, que contempla uma área de 4 tarefas. O trabalho já conta com um sistema de irrigação, cujo kit foi doado pela Prefeitura Municipal de Amparo do São Francisco. Além disso, o grupo também conta com um espaço para produção de mudas de hortaliças, tendo os 13 kits de sementes distribuídos pela Emdagro em 2018.

Na divisão de tarefas, as mulheres são maioria no grupo e vem tendo destaques. A organização consiste em molhação das plantas, que é a parte mais importante, onde duas turmas revezam em períodos distinto, uma equipe vai no período de 4 a 6 horas da manhã, e a outra no turno da tarde, para fazer a segunda molhação. “Aqui os homens enchem o tanque e as mulheres com um regador vão fazendo a molhação para a plantação não morrer, até que chegue a irrigação completa”, afirma a agricultora Maria Linda Santana Marinho, Quilombola da Comunidade Crioulo.

O trabalho tem chamando a atenção e devido a isso, por iniciativa dos professores das unidades de ensino da região, estudantes tem visitado e conhecido de perto a experiência do grupo, como forma de incentivar e reforçar cada vez mais a importância do amor pela terra e pela localidade.

“Essas não são simplesmente mulheres que estão produzindo e comercializando produtos, mas são mães e esposas que começam a ter visibilidade, vendo a valorização do seu ‘saber fazer’ e, aos poucos, vão conquistando sua autonomia financeira, se descobrindo como lideranças e qualificando sua intervenção nos espaços de desenvolvimento”, observou a Gestora das Ações de Desenvolvimento Social da Emdagro, Abeaci dos Santos.

Comercialização

Outro aspecto importante que o grupo vem vivenciado com a experiência é a sua inserção no mercado e comercialização dos produtos em feiras livres e na própria comunidade que, mesmo ainda com uma pequena produção, já apresenta resultados satisfatórios. Além disso, uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Amparo do São Francisco e o grupo de agricultores, através da articulação da Emdagro, fez com que os produtos produzidos pelo grupo alcançassem os mercados institucionais e, hoje, já fazem parte da merenda escolar de duas instituições de ensino da região.

FOTO: Ascom Emdagro – Por Carlos Mariz

Deixe seu comentário...