PM diz que não vai deixar ser massa de manobra de quem quer se autopromover

Queria realmente ver a união da tropa, mas o que vemos, como disse, são interesses pessoais acima do interesse da tropa.

SERGIPE – Sou policial militar e queria aqui demonstrar minha insatisfação com alguns fatos que estão ocorrendo no seio da tropa, em relação às reivindicações.

Primeiramente o que vemos é dirigente de associação militar preocupado com o cargo público que pleiteará no próximo ano, fazendo questiúnculas políticas para se autopromover.

Queria realmente ver a união da tropa, mas o que vemos, como disse, são interesses pessoais acima do interesse da tropa.

Defendo também que devemos ser incisivos nas nossas cobranças pelos nossos direitos e acima de tudo, unidos, pois não existe um melhor do que o outro. Todos iguais e irmanados, certamente teremos mais possibilidade de alcançar nossos objetivos.

Uma outra reflexão que faço é que, se queremos ser respeitados, devemos dar o respeito, e não ficar destratando as autoridades e quem quer que seja, fazendo chacotas com memes ou palavras do tipo “traidor”. Deixo a indagação: qual a autoridade que vai querer negociar com a categoria, se é chamado de traidor, e tratado com chacota e outras coisas mais?

Temos que traçar nossos objetivos com união e determinação, mas sem a politicagem de alguns que têm interesse político. Quem vier para a luta, venha sem interesse político, pois a política é para o período eleitoral. O que precisamos é unir a tropa para alcançar nossos objetivos e não somente um se achar o “salvador e mártir” que resolverá todos os problemas dos militares.

Fica aqui a reflexão de um policial militar que não vai se deixar ser massa de manobra de quem quer se autopromover.

*O texto foi escrito por um policial militar da ativa, devidamente identificado e que pediu para não ter seu nome revelado.

Deixe seu comentário...