Ponte sobre o Rio Japaratuba, em Pirambu, é liberada nas duas vias

Tráfego fica permitido nos dois sentidos apenas para veículos de até 10 toneladas

Compartilhe...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Print this page
Print

PIRAMBU/SE – O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs) e do Departamento Estadual de Infraestrutura Rodoviária de Sergipe (DER) liberou no final da manhã da sexta-feira (21), o tráfego das duas vias na ponte sobre o Rio Japaratuba, na Rodovia SE 100, entre os municípios de Barra dos Coqueiros e Pirambu, no Litoral Norte do Estado.

Interditada desde o dia 22 de novembro de 2019 para a recuperação estrutural dos pilares centrais, que apresentavam sérios problemas nas ferragens, e que necessitou dos serviços de escoramento para a execução dos trabalhos, a ponte foi liberada parcialmente em 18 de janeiro no sistema ‘pare e siga’, para o tráfego de veículos de peso médio com até 10 toneladas (carros de passeio, utilitários e micro-ônibus).

De acordo com o Secretário Estadual do Desenvolvimento Urbano, Ubirajara Barreto, a liberação só foi possível graças ao bom andamento dos serviços. “Na última semana fizemos uma visita técnica, executamos algumas determinações elencadas pela construtora e, após a constatação de que os resultados dos serviços corresponderam às exigências feitas, estamos liberando a ponte nos dois sentidos para o tráfego de veículos, porém, com restrição no peso”, explica.

O secretário diz ainda que até o final dos trabalhos de recuperação da ponte, o tráfego para veículos de grande porte continua proibido. “Ressaltamos que o tráfego de ônibus, caminhões, caçambas, carretas e demais veículos acima de 10 toneladas ainda não é permitido. Instalamos placas indicativas advertindo aos condutores desta proibição, ficando sobre estes, a total responsabilidade sobre a estrutura da ponte e a segurança das pessoas, sendo que, caso a infração venha ocorrer, o condutor será passível de multa, terá sete pontos a menos na carteira de habilitação, além de responder judicialmente”, enfatiza.

Deixe seu comentário...