SERGIPE – As informações que circulam nos meios políticos desde a última quinta-feira (15) de que o deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) irá assumir o comando do PSL em Sergipe, não agradou a atual direção estadual que já se manifestou sobre o assunto.

O atual presidente, Valdir Viana, reclama que reorganizou o partido e que a Nacional resolveu passar o comando para Rodrigo, sem comunicar os membros. “Eu reorganizei o partido todo e agora a Executiva nacional toma essa decisão”, disse Valdir.

Por não poder se filiar ao PSL por conta da legislação eleitoral, Rodrigo Valadares deverá apontar um nome e, no entendimento de Valdir Viana, o novo presidente seria Lúcio Flávio, do Instituto Brasil 200.

Sobre a sua posição, Valdir Viana disse que irá reunir o seu agrupamento para discutir qual rumo tomar. “Nunca tomei uma decisão monocrática”, disse.

Ainda sobre filiação de filiados, quem está comemorando é o vereador de Aracaju cabo Amintas (PTB) que informou, através de sua assessoria, que está autorizado a falar pelo partido. Amintas diz que aguarda somente a “janela” ser aberta para migrar da sigla atual (PTB) para o PSL de Bolsonaro.

Enquanto Amintas comemora, não é o que pensa o ex-presidente, João Tarantela, que inclusive já declarou ser pré-candidato a prefeito de Aracaju.

A ração mais dura foi por parte de Tarantela, ao garantir que “não vou permitir que um vagabundo, que há seis meses atrás era Lula livre, e agora é Bolsonaro desde criança”. Essa declaração foi feita ao Hora News onde ele afirmou que “se ele assumir, daqui pra o final do ano eu tiro ele na tora. Eu disse ao deputado federal que veio, a mando do presidente, que eu vou reagir. Não vou permitir que um vagabundo, que há seis meses atrás era Lula livre, e agora é Bolsonaro desde criança. Eu não aceito que quem defendeu o projeto de Lula ontem venha hoje liderar o projeto de Bolsonaro em Sergipe. Eu não aceito. Ele agora se meteu com um doido”, ironizou Tarantela.

Procurado para comentar sobre as declarações de Tarantela, o deputado Rodrigo Valadares se limitou a dizer que “ão tem como discutir com uma pessoa que se autointitula “doido”, disse o parlamentar.