Rodrigo Valadares diz que Alessandro “é coronel do século 21”

Rodrigo Valadares disse que o G4 acabou, porque segundo ele, os parlamentares estavam se destacando.

Compartilhe...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Print this page
Print

SERGIPE – O deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB), voltou a fazer duras críticas ao senador Alessandro Vieira (Cidadania), a quem ele classifica como “inseguro, vaidoso, coronel do século 21”.

As críticas foram feitas pelo deputado após questionamento dos radialistas Alex Carvalho e Kleber Alves, no programa Inove Noticias, sobre o que teria provocado o fim do G4, o grupo de oposição na Alese, o qual ele fazia parte ao lados dos deputados Georgeo Passos, Kitty Lima e Samuel Carvalho e, segundo o parlamentar “o motivo foi o egocentrismo do senador que é inseguro”, afirmou o parlamentar.

Rodrigo Valadares disse que o G4 acabou, porque segundo ele, os parlamentares estavam se destacando e “ele com medo disso, chamou os três deputados e disse a eles que eles precisavam destacar o Cidadania. Isso para ninguém crescer e ai, você notou que de junho do ano passado para cá, não teve mais oposição na Assembleia”, disse Rodrigo.

Durante a entrevista, Rodrigo chegou a ironizar, afirmando que “ele é igual produto chinês que a gente compra e quando chega é outro. Assim é o senador Alessandro, em quem as pessoas votaram nele esperando que fosse uma coisa e que agora demonstrou ser outra. Até brinco e digo que tem que chamar o procon eleitoral dos eleitores arrependidos, que querem o voto de volta e que não são poucos. Ele pregou uma coisa durante as eleições e está se mostrando outra completamente diferente. É o coronel do século 21”, ironizou deputado.

Ao ser questionado sobre a pré-candidatura da delegada Daniele Garcia à prefeitura de Aracaju, Rodrigo disse que “ela é uma excelente pessoa, séria, capaz, mas que infelizmente se cercou de pessoa como Alessandro, uma pessoa estranha, esquisito. Veja por exemplo, eu recentemente viajei no mesmo vôo que ele e sentei em um banco logo atrás. Ele entrou, sentou, colocou o fone de ouvido e não falou com ninguém. É um cara estranho”, disse.

Munir Darrage

Deixe seu comentário...