Secretaria de Estado da Saúde confirma oitava morte por dengue este ano em Sergipe

SES aponta um crescimento vertiginoso dos casos de dengue em Sergipe: 5.431 notificações e 1.645 confirmações.

SERGIPE – A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio do Laboratório Central de Saúde (Lacen), confirmou nesta segunda-feira (22), que uma mulher de 33 anos, proveniente do bairro Industrial, em Aracaju, teve morte causada pelo vírus da dengue. Este é o oitavo óbito confirmado em 2019.

A atualização mais recente da SES aponta um crescimento vertiginoso dos casos de dengue em Sergipe: 5.431 notificações e 1.645 confirmações.

O bairro Industrial, onde a última vítima fatal morava, é classificado pelo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (Liraa) de Aracaju como “Alto Risco”.

Mobilização

Os dados epidemiológicos alertam para a necessidade de intensificação das ações de eliminação dos focos do Aedes aegypti em todas as regiões do Estado. São ações que envolvem gestores estaduais, municipais e Governo Federal, e a população.

Para isso, em abril deste ano, a SES lançou uma campanha educativa para orientar a sociedade sobre a prevenção da doença, além de preparar uma brigada itinerante com agentes de endemias, uma espécie de força-tarefa do governo do Estado, para apoiar os municípios que estão em situação de alto e médio risco de infestação do mosquito causador da Dengue, Zica e Chikungunya.

De acordo com informações da diretora de Vigilância em Saúde, Mércia Feitosa, a força-tarefa atua em duas frentes: eliminação mecânica dos criadouros e educação em saúde, neste último caso, conscientizando a população para a adoção de medidas domésticas preventivas. “A Dengue é um problema de saúde pública e seu controle exige, essencialmente, a contribuição da população”, disse.

Segundo ela, entre as medidas domésticas que a população pode adotar estão: não deixar água parada evitando o nascimento do mosquito; deixar sempre bem tampados e lavar com bucha e sabão as paredes internas de caixas d’água, poços, cacimbas, tambores de água ou tonéis, cisternas, jarras e filtros; não acumular água em pratos de vasos de plantas. Coloque areia fina até a borda do pratinho; não juntar vasilhas e utensílios que possam acumular água como tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha e embalagens; entregar pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, caso precise mantê-los, guarde em local coberto.

Sintomas da Dengue

A infecção por dengue pode ser assintomática (sem sintomas), leve ou grave. Neste último caso pode levar até a morte. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Perda de peso, náuseas e vômitos são comuns. Em alguns casos também apresenta manchas vermelhas na pele.

Na fase febril inicial da dengue, pode ser difícil diferenciá-la. A forma grave da doença inclui dor abdominal intensa e contínua, vômitos persistentes e sangramento de mucosas. Ao apresentar os sintomas, é importante procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados, todos oferecidos de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

FOTO: Divulgação

 

Deixe seu comentário...