“SEM REPRESENTAÇÃO” Coronéis da reserva da PM e CBM/SE formam associação de classe

A iniciativa da criação da ASCEL-SE surgiu em razão da falta de coesão e interesses.

SERGIPE – Reunidos  após  um  descontraído  café  da  manhã  em  um  hotel  da  Orla  da Praia  de Atalaia  em Aracaju, um  grupo  de  17  (dezessete)  Coronéis  da  Reserva  Remunerada da  Policia  Militar  e  do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe, entre eles três ex-comandantes gerais, após explanações e debates decidiram pela criação da Associação dos Coronéis PMs e BMs de Sergipe/ASCEL-SE.

A iniciativa da criação da ASCEL-SE surgiu em razão da falta de coesão e interesses que sempre não convergem num mesmo rumo quando se trata de representatividade de classe dos militares estaduais,  pois  a  carreira  militar  é  composta  por  diversos  escalões  hierárquicos  onde  nem sempre a perspectiva e objetivos estão num mesmo patamar.

Os oficiais em grande número e não somente os coronéis entendem que a Assomise (Associação dos Oficiais Militares de Sergipe) que em tese representa classe, sofreu mudanças estatutária no  decorrer  do  tempo,  a mesma que  além de  mudar  do antigo Clube dos  Oficiais  fundado  na década  de  70 (equipamento  de lazer)  para  Associação representativa teve  inserido  em  seu quadro social em sua grande maioria civis, o que enquanto clube não haveria problema mas que em relação a entidade  de  representação de  classe perdeu  sua  essência  e  finalidade  o  que  ocasionou  a solicitação de exclusão de vários oficiais.

A  ASCEL-SE  apesar  de  ter  sido  instalada  com  a  presença  de  17  membros já  conta  com  a participação de 30 (trinta) associados se o objetivo é congregar no primeiro momento os Oficiais Superiores  (Coronéis,  Tenentes  Coronéis  e  Majores)  da  ativa  e  inativos,  podendo  no  futuro agregar todo o oficialato, vindo a ser a Associação de fato e de direito que represente os Oficiais da PMSE e do CBMSE.

A ASCEL-SE tem como objetivo defender  os interesses de seus associados enquanto servidores públicos, mas buscará também apoiar os Comandos das Instituições visando o aperfeiçoamento da segurança pública no Estado contribuindo assim para um “Sergipe de paz e harmonia” como bem diz o hino da briosa PMSE.

Por coronel Barros

 

Deixe seu comentário...