SES orienta municípios sobre a não revacinação da BCG

Vacina dada aos recém-nascidos para prevenir a tuberculose.

SERGIPE – A Secretaria de Estado da Saúde (SES) encaminhou nota técnica para os 75 municípios sergipanos orientando-os sobre a nova recomendação do Ministério da Saúde (MS) em relação à BCG (vacina dada aos recém-nascidos para prevenir a tuberculose), que é a de não mais revacinar as crianças que já receberam a dose, ainda que não desenvolvam a cicatriz.

Segundo informações da gerente do Programa Estadual de Imunizações, Sândala Teles, até está nova recomendação, todos os bebês vacinados que não desenvolviam cicatrizes até os seis meses de idade, eram revacinados. A nota encaminhada aos municípios apresenta todas as considerações da Organização Mundial de Saúde (OMS) em relação ao tema e a recomendação do órgão federal brasileiro.

Sândala Teles informou que em fevereiro de 2018, a OMS publicou um documento onde aponta que a ausência de cicatriz de BCG após a vacinação não é indicativo de ausência de proteção. Por isso, não indica a revacinação haja vista que estudos mostraram evidências mínimas ou inexistentes de benefício adicional da repetição da vacina contra tuberculose.

Acrescentou que o posicionamento da OMS foi discutido pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) juntamente com o Comitê Técnico Assessor em Imunizações (CTAI) e concluíram que, diante da ausência de evidências científicas que justifiquem manter a revacinação, o Brasil seguirá o que diz a Organização Mundial de Saúde.

ASCOM / SES

FOTO: Flávia Pacheco

Deixe seu comentário...