SINPOL/SE denuncia assédio moral cometido contra policiais civis que atuam no DHPP e poderão ser substituídos por PMs

Assessoria Jurídica do Sinpol/SE está se apropriando do ocorrido e tomará as medidas legais cabíveis.

ARACAJU/SE – Nesta terça-feira (05), diretores do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE) foram convidados pelos policiais civis a comparecerem à sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para acompanhar uma reunião administrativa que seria promovida pela direção da unidade.

As informações preliminares davam conta de que a pauta principal era pressionar os agentes e escrivães, de modo que eles deixassem de seguir as orientações do Sinpol/SE e a luta coletiva da categoria referente à OPC Legal (A OPERAÇÃO). Assim, três diretores do sindicato foram ao DHPP, mas não puderam entrar no auditório, pois não haviam sido convidados e com a justificativa de que seria uma reunião de trabalho.

Os representantes respeitaram o comunicado e não entraram no auditório, mas permaneceram no DHPP, solicitando que os colegas permanecessem no local para uma nova reunião, desta vez com participação da entidade sindical.

Ao final da reunião convocada pela direção do DHPP, os delegados presentes saíram do auditório. Os representantes do Sinpol/SE entraram e buscaram informações sobre a pauta do encontro. Os policiais civis informaram que foram constrangidos fortemente, pois a diretora do DHPP informou, alegando solicitação da delegada geral Katarina Feitoza, que as escalas de sobreaviso dos agentes e escrivães estariam suspensas a partir deste mês até nova deliberação. Em contrapartida, as escalas dos delegados estariam mantidas.

Ainda de acordo com os policiais civis presentes, os delegados propuseram um pagamento de horas extras mensal proporcional ao número de prisões realizadas pelo DHPP. Os diretores do Sinpol/SE também receberam diversas informações sobre assédio moral e ameaças veladas. Os policiais civis relataram que foram informados que, caso permaneçam seguindo as orientações deliberadas coletivamente nas Assembleias Gerais do Sinpol/SE, serão substituídos por policiais militares, que serão convocados pelos delegados.

A Assessoria Jurídica do Sinpol/SE está se apropriando do ocorrido e tomará as medidas legais cabíveis o mais rápido possível para que a sociedade sergipana e os policiais civis não sejam prejudicados.

FONTE & FOTO – SINPOL/SE

Deixe seu comentário...