SSE informa que fez proposta de pagamento para Carreta da Saúde mas empresa não aceitou

Secretaria de Estado da Saúde informa que fez proposta de pagamento.

SERGIPE – O Governo do Estado informa que devido às dificuldades financeiras que enfrenta priorizou o fechamento do exercício fiscal de 2018 efetuando pagamentos que pudessem contribuir para o atingimento dos índices constitucionais.

Após isso, o governo debruçou-se na busca de uma proposta de pagamento para a Carreta da Mulher que fosse compatível com a capacidade de pagamento do cofre público. A Secretaria de Estado da Saúde apresentou duas propostas de pagamento para a empresa Morumbi que construiu a carreta.

A primeira seria em três parcelas, que foi refutada pela empresa e a segunda, com o pagamento sendo efetuado em duas parcelas a serem pagas da seguinte forma: a primeira parcela de imediato e a segunda após 30 dias. O proprietário da empresa Morumbi que construiu a carreta não deu atenção à segunda proposta.

A Secretaria de Estado da Saúde esclarece que o fato da carreta não estar em operação,

não significa que os exames para prevenção e promoção da saúde da mulher não estejam sendo realizados, pois existe uma rede que vem atendendo as mulheres em todo estado.

Para melhor entendimento, é necessário esclarecer que no sistema SUS, a realização dos exames (lâmina e mamografia, entre outros) são de responsabilidade dos municípios, que realizam exames de rotina em clinicas conveniadas e/ou em rede própria, ou até mesmo, em mutirões com a população feminina.

O Governo do Estado ainda possui para dar suporte, o Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Caism), que atende a gestante de alto risco e mulheres cujos resultados dos exames, realizados pelos municípios, apresentaram alguma alteração.

Somente em 2018, o Caism realizou 7.681 exames de ultrassonografia, 2.814 exames de mamografia e realizou 21.599 consultas, em ginecologia, mastologia, endocrinologia, oncologia, cardiologia, entre outras especialidades.

O governo do estado lamenta a posição da empresa em não querer aceitar a oferta e informa que vai continuar, ao lado dos municípios, trabalhando por meio da sua rede de saúde na assistência, prevenção e promoção da saúde da mulher.

O governo informa também que devido às declarações do representante da empresa sobre supostas vantagens ilícitas, o governador determinou que a Procuradoria Geral do Estado impetre ação judicial para que o representante possa esclarecer sua denúncia e que só depois disso irá retomar negociações para recebimento da carreta.

Por SES/SE

FOTO: Ilustração

Deixe seu comentário...