“Temer deu poder para André Moura fazer um governo paralelo em Sergipe”, diz Jackson Barreto

Eu conheço muito bem Bolsonaro, completamente despreparado.

SERGIPE – O ex-governador Jackson Barreto (MDB) voltou a falar sobre a atuação de André Moura (PSC) enquanto deputado federal e líder de Michel Temer no Congresso Nacional.

Na manhã desta segunda-feira (20), Jackson Barreto afirmou que “o ex-presidente Temer deu poder para André Moura fazer um governo paralelo em Sergipe”, disse o ex-governador em entrevista ao jornal da Fan.

Durante a entrevista, Jackson evitou fazer críticas aos adversários políticos, mas não perdeu a oportunidade de ironizar alguns deles. Ao ser questionado sobre uma frase sobre Rogério Carvalho, o ex-governador se limitou a dizer “senador da república”. Sobre o ex-senador Antonio Carlos Valadares, Jackson preferiu dizer que “vamos falar de coisas boas”, disse e sorriu.

Jackson Barreto também voltou a falar sobre a inauguração do Centro de Nefrologia, ocorrido antes mesmo de sua conclusão. O ex-governador informou que o ex-secretário da saúde assumiu a responsabilidade da situação e o problema ficou resolvido.

O ex-governador falou ainda sobre a sua posição nas eleições do ano que vem. Jackson voltou a afirmar que não será candidato, porém deixando claro que não repetirá que irá deixar a vida pública e garantiu “não falo mais que vou deixar a vida pública”, disse.

Bolsonaro

Ainda sobre educação, Jackson foi questionado sobre os cortes de recursos para área, anunciados pelo Governo Federal e não poupou críticas ao ex-colega de parlamento. “Fui deputado federal e contemporâneo de Bolsonaro. Eu o conheço. Completamente despreparado, incapaz de defender um argumento, uma tese de um projeto. Incapaz de fazer discursos sobre temas importantes para o país. Esteve sempre em defesa dos militares e da ditadura. Ele desconhece o papel da educação para o crescimento de um país”, lamentou.

Com as cíticas a Bolsonaro e ao atual cenário político do Brasil, Jackson justificou sua permanência no meio político. “Vivemos um momento tão complicado, que é hora dos políticos aposentados, que defendem a liberdade e a democracia, voltarem. Meu sonho é que o Brasil volte a ser governado pela classe trabalhadora” destacou.

 

Deixe seu comentário...