“Teremos de viver a democracia plena”, anuncia Belivaldo Chagas

Belivaldo foi taxativo quanto a possíveis “ilicitudes”.

Durante a solenidade de posse do governador reeleito e da vice-governadora eleita de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD) e Eliane Aquino (PT), respectivamente, na tarde dessa terça-feira (1º), no plenário da Assembleia Legislativa, olhando para as galerias tomadas, o chefe do Executivo assumiu o compromisso público de cumprir aquilo com que se comprometeu ainda na campanha eleitoral, já antecipando que não fará concessões por comodidade e que não governará “numa sala de isolamento”, distante da população.

Logo no princípio de seu discurso no plenário da Alese, Belivaldo foi taxativo quanto a possíveis “ilicitudes” na administração pública e fez uma única promessa: “não terei tolerância com o favorecimento, o descuido, a irresponsabilidade ou com ilicitudes de qualquer natureza”, disse, acrescentando que “o maior patrimônio da minha vida é a credibilidade, a honra que preservo do meu nome”.

Belivaldo também revelou que sua forma de fazer política seguirá o mesmo alinhamento de sempre, “íntegra, atenta e vigilante diante da busca do bem comum”, revelando ainda que não arquivou a promessa feita quando assumiu o governo em definitivo, após a renúncia do ex-governador Jackson Barreto (MDB). “Não vacilei por omissão, covardia ou fraqueza, em nenhum momento em que se fez necessária uma decisão, por mais grave e difícil que fosse”.

Novo Governo

Belivaldo pontuou ainda o novo governo que se inicia representa uma trajetória a ser percorrida, obedecendo rigorosamente a vontade do povo e respeitando a aspiração da sociedade. O governador enfatizou que nem o Brasil e, muito menos, Sergipe estão bem do ponto de vista econômico e social, mas registrou que tem imensa confiança de transformar as agruras do presente num futuro promissor, na capacidade, na força e na determinação dos sergipanos.

Eliane Aquino

Sobre a vice-governadora Eliane Aquino, Belivaldo disse que o destino lhe reservou o papel “de colher aqueles sorrisos dos sergipanos que Marcelo Déda, na sua corajosa e espiritualizada aproximação com a inevitável passagem”, enfatizando que ele, junto a Eliane irão buscar aqueles sorrisos que o ex-governador sabia que não iria vê-los.

Dificuldades

O governador empossado reconheceu que terá pela frente dias difíceis e intranquilos, que o País não se recuperou da crise de 2015, que somente se amenizou com melhorias pontuais, ensejando um crescimento frágil. “Durante a campanha eleitoral nunca falseei a realidade, ninguém me ouviu fazer promessas fáceis ou acenar com a possibilidade de mágicas, no decorrer do meu mandato, muito menos para este ano que se inicia”, disse, acrescentando que “Sergipe está longe ainda de superar o desequilíbrio das contas públicas”.

Déficit

Belivaldo disse que para 2019 existe a assustadora previsão do déficit da ordem de mais de R$ 500 milhões, tendo que buscar recursos extraordinários e cortar despesas, sem deixar de assegurar investimentos que contribuam para amenizar a elevada taxa de desemprego. “Não governarei fazendo concessões à comodidade, nem protelando a adoção de medidas por mais difíceis que sejam. Teremos de viver a democracia plena”, completou.

Oposição e transparência

Por fim o governador mandou um recado para seus opositores, desejando a firmeza na crítica, a capacidade de monitorar o governo e detectar as suas falhas, garantindo que as mudanças possam ocorrer. “Transparência não será apenas uma palavra para contentar, será uma exigência ética a ser devotadamente cumprida”, garantiu o governador, chegando a se emocionar em alguns momentos do discurso.

Compromisso e homenagem

Durante a sessão solene, Belivaldo Chagas e Eliane Aquino prestaram o compromisso constitucional de manter, defender e cumprir as Constituições da República Federativa do Brasil e do Estado de Sergipe. Feito o juramento, ambos assinaram o termo de posse. A solenidade também contou com a apresentação da Banda do Corpo de Bombeiros Militar do Estado, sob a regência do maestro Evandro de Jesus Bispo.

Ao término da sessão, o governador e as demais autoridades seguiram para a frente do prédio da Assembleia Legislativa, até o dispositivo de honra, onde foi feita a passagem em revista às tropas, atendendo às honras militares. Em seguida, todos participaram da tradicional Missa de Ação de Graças em homenagens às posses, na Igreja do Conjunto Bugio.

FOTO: César de Oliveira – Por Habacuque Villacorte

Deixe seu comentário...