Testemunha-chave de acusação se contradiz e George Magalhães volta à Fan FM na próxima segunda, 27

Ele volta a comandar o Programa Dia a Dia, na Rádio Fan FM de Carmópolis.

SERGIPE – O radialista George Magalhães, que foi denunciado pelo Ministério Público do Estado à Justiça por suposto crime de estupro, retorna aos microfones do rádio sergipano na próxima segunda-feira (27). Ele volta a comandar o Programa Dia a Dia, na Rádio Fan FM de Carmópolis. O atual âncora do programa, Jota Pereira, voltará a condição de repórter.

“Saiu uma nota criticando, mas veja: ele não foi julgado, não pode ser considerado culpado. Então, não há nada que o impeça de voltar a trabalhar. Ele pode voltar a qualquer tempo, não há qualquer impedimento. Ele e o empresário (Sandro de Miro) chegaram a um entendimento, que ele no primeiro momento achava adequado se afastar e, eu também achei, até por que houve a prisão dele, tinham umas questões a serem esclarecidas, mas agora não vejo nenhum empecilho para ele voltar a trabalhar”, explica o advogado Evânio Moura, que defende o radialista na Justiça.

Narciso Machado continuará no comando do Jornal da Fan, na Fan FM de Aracaju, das 6h às 9h.

Audiência Judicial

Informações obtidas pelo Hora News dão conta que na primeira audiência judicial a mulher que acusa o radialista de ter a estuprada entrou em contradição, bem como o porteiro que compareceu à audiência como testemunha dela.

O porteiro teria entrado em contradição em relação ao depoimento prestado à polícia em que ele afirma que o radialista teria o intimidado, motivo da prisão de George Magalhães.

                                      Criminalista Evânio Moura confiante em sentença favorável a seu cliente

“Há uma diferença muito grande entre aquilo que consta na acusação inicial e o que efetivamente está sendo apurado nas audiências. Tanto ela como o porteiro entrou em diversas contradições. O porteiro inclusive se retratou da questão que teria sido coagido ou intimidado, que foi o motivo da prisão de George. Ele é um cidadão que se você fizer 10 vezes a mesma pergunta ele vai dar 10 respostas diferentes, é impressionante. A oitiva dele foi um parto, estava demasiadamente nervoso. George ficou preso 37 dias por causa de um depoimento pífio daquele”, salienta Evânio, que se diz confiante na inocência do radialista.

Uma psicóloga forense avaliou o comportamento da mulher antes e depois do suposto estupro por meio das imagens do circuito interno do condomínio em que mora o radialista e trabalha a suposta vítima. Também foi avaliada uma entrevista concedida por ela à TV Sergipe. A especialista teria detectado que a mulher teve um comportamento natural, algo estranho para alguém que teria sido vítima de abuso sexual.

Uma nova audiência será realizada em junho e, posteriormente, a juíza decretará a sentença.

Com informações do Hora News

FOTO: Aquivo Pessoal

 

Deixe seu comentário...