Vereador acusado pelo deputado “Rodrigo Valadares” de contratar pistoleiro no Ceará para matá-lo, diz que vai processá-lo

O vereador é primeiro suplente de deputado estadual, e assumiria na ausência de Rodrigo.

Compartilhe...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Print this page
Print

ITABAIANA/SE – O vereador por Itabaiana Vardo da Lorérica (PTB) disse nesta sexta-feira (06) está entrando com processo criminal contra o deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB), através do advogado Manoel Cacho. Vardo diz ainda que é amigo do deputado, seu correligionário e deseja que “o mal que quero para ele, rogo que caia sobre mim”.

Rodrigo Valadares acusou, quinta-feira (05), o vereador Vardo da Lotérica de planejar a sua morte, através da contratação de pistoleiros no Ceará, relatando com detalhes como aconteceria o crime. O vereador é primeiro suplente de deputado estadual, e assumiria na ausência de Rodrigo.

Vardo disse que não tem nada contra Rodrigo Valadares e “somos do mesmo partido”. Para o vereador, “cada um revela o que tem” e acrescentou que ele terá de provar tudo o que disse em relação a ameaça de morte e sobre a contratação de pistoleiro para executá-lo.

Sobre depressão – O vereador Vardo da Lotérica contou que o deputado Rodrigo Valadares apresentou um quadro depressivo, alguns meses atrás: “fui à casa dele para incentivá-lo a exercer o seu trabalho na Assembleia Legislativa”. Acrescentou que ele inclusive foi ao médico, que lhe passou medicamento: “mas, pelo que ele está fazendo, acho que não vem tomando os remédios”.

– Ele [Rodrigo Vakadares] gosta de aparecer. Tanto que briga com o vereador Cabo Aminthas (PTB) e com o senador Alessandro Vieira (Cidadania). Ao invés de tentar a unidade do partido, está desmanchando a sigla no Estado, quando deveria saber que a união faz a força, disse Vardo, acrescentando que “por mim ele vai durar dois mil anos”.

Vardo da Lotérica acha que “o deputado não deveria fazer isso comigo”, admitindo que está “junto a ele” e que “ganhar ou perder eleição faz prte da vida do político”. Acha que o deputado está mal assessorado e “terá que dzer na Justiça “quem contratei e com quem falei para assassiná-lo”.

ENTENDA O CASO:

URGENTE: “Colocava uma ração na porta e quando a vítima saía de casa, dois rapazes iriam chegar e apagar a vítima”, diz depoimento de Rodrigo Valadares

Fonte – Faxaju / Diógenes Brayner

Deixe seu comentário...