[VÍDEO] Comandante do Corpo de Bombeiros esclarece incêndio em madeireira

O fogo começou por volta das 19h desta segunda.

ARACAJU/SE – Na noite desta segunda-feira (11) por volta das 19h, guarnições do Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) foram acionadas para combater um incêndio na Serigy Madeiras, localizada no bairro Industrial, em Aracaju (SE). Ao todo sete viaturas do bombeiro e nove carros civis foram empregados e às 22h conseguiram  debelar o incêndio.

De acordo com o comandante geral do CBMSE, o coronel Gilfran Mateus, houve dificuldade de acesso à edificação, já que não havia ninguém no local e todas as portas estavam trancadas.

“Nós tivemos muita dificuldade de entrar, pois ela estava totalmente fechada. Isso prova que o incêndio começou internamente e se alastrou porque não tinha ninguém que pudesse fazer um primeiro combate. Quando chegamos ao local, o incêndio já estava em uma dimensão significativa, tivemos dificuldade, mas conseguimos controlar evitando que se propagasse para as edificações vizinhas”, afirma o comandante.

As guarnições do Quartel do Comando Geral (QCG), Socorro, Itabaiana e do Posto Avançado (Praia) deram apoio para combater o incêndio. Os bombeiros também contaram com a ajuda de outros órgãos: Polícia Militar, Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Petrobrás e a Prefeitura Municipal de Aracaju.

Ao todo, nove carros-pipas foram direcionados para o incidente e ajudaram no reabastecimento das viaturas, que empregaram 200 mil litros de água para controlar o incêndio.

“Foi importante ter os carros-pipas, porque numa ocorrência como essa, temos somente nossa viatura para fazer o transporte da água, tendo que sair a todo instante para reabastecer nos hidrantes e voltar para a cena. Tendo esse apoio, nós abastecemos no próprio local e as bombas das nossas viaturas permanecem ininterruptamente dando pressão nas mangueiras, com água suficiente para controlar o incêndio”, explica o coronel Mateus.

O trabalho da perícia para apurar as possíveis causas do ocorrido ainda não foi possível ser iniciado, pois ainda há um calor intenso dentro da edificação, assim como brasas e pequenas chamas. “Isso prejudica o início do nosso trabalho de perícia, devemos começar assim que tivermos condições de adentrar o local em segurança e retirar alguns materiais que foram queimados. Ainda estamos fazendo o trabalho de rescaldo e tendo sempre que ficar controlando as chamas, para evitar que esse fogo se propague novamente e aumente sua dimensão”, diz o comandante.

Assista, abaixo, ao vídeo:

Com informações do CBM/SE – SSP/SE

Deixe seu comentário...