[VÍDEO] polícia acaba com festa de adolescentes, regada a álcool, brigas e roubos

Várias pessoas foram presas por desacato, uso de simulacro de arma de fogo e por roubo de celular.

Um evento com mais de duzentos jovens, sem autorização de órgãos públicos e nem responsáveis pela organização, realizado na noite deste sábado (17), na Praça Doutor Garcia Moreno, no Bairro Grageru, Sul de Aracaju, terminou com a intervenção de policiais militares. Com uso de bala de elastômero (borracha) e bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo, os PMs dispersaram o público, depois que policiais militares estiveram no local para garantir a ordem e orientar as pessoas que estavam na festa, e após verificar que a situação não havia sido resolvida, a tropa de choque foi acionada para tentar dispersar os jovens. Eles não obedeceram e os policiais tiveram que usar os meios legais para que a situação fosse controlada. Durante a ação, a correria dos que estavam na festa causou confusão no trânsito e assustou os moradores. Segundo afirmou o coronel Vivaldy Cabral, comandante do policiamento da capital.

 
De acordo com o coronel Vivaldy Cabral, o evento começou a tarde. “Houve uma grande aglomeração de pessoas que teriam sido convocadas por meio das redes sociais que se intitulava como o ‘bloquinho proibido’. A PM não é contra qualquer evento, e temos na polícia militar um setor para orientar qualquer um que se disponha fazer algo organizado, com monitoramento policial e outras medidas que garantam a segurança dos participantes e a comunidade”, explicou.

Ainda de acordo com Vivaldy Cabral, a presença policial na praça. “Recebemos vários chamados dos moradores do local, eles foram surpreendidos com a chegada de centenas de jovens, que se aglomeram na praça e nas imediações para participar de uma festa que reunia sons de mala e de paredão. Vias foram fechadas indevidamente, ferindo o direito de ir e vir. Embora não sendo um evento organizados, nosso objetivo era garantir a segurança e direito de todos no local”, assinalou o militar.

A ação de dispersão contou vários policiais e viaturas. Ainda de acordo com o coronel, pessoas foram presas por diversos motivos, entre eles, desacato, uso de simulacro de arma de fogo e por roubo de celular. Apesar de toda a confusão ninguém ferido. A ocorrência será registrada na delegacia de plantão e em boletim próprio. O oficial considerou que a operação foi bem-sucedida e dentro dos preceitos das organizações de direitos humanos. A possibilidade de responsabilizar aqueles que fizeram a convocação para o evento não autorizado não está descartada, de acordo com o oficial.

Segundo a Empresa de Serviços Urbanos (Emsurb), informou que a festa não tinha autorização para ser realizada no local. A organização do evento ainda não foi identificada.

 

ASSISTA AO VÍDEO:

FOTOS & VÍDEOS:  Reprodução / Redes Sociais & Grupo do WhatsApp

Deixe seu comentário...