[VÍDEOS & FOTOS] Militares do QCG/PMSE correm risco de morte, diz sargento

"A situação do QCG é crítica e serve para simbolizar como se encontram os demais prédios da corporação".

ARACAJU/SE – O presidente da Associação dos Militares do Estado de Sergipe (Amese) sargento RR Jorge Vieira da Cruz fez uma grave denúncia em seu blog na manhã desta segunda-feira (18).

No blog, sargento Vieira diz que “a situação do QCG é crítica e serve para simbolizar como se encontram os demais prédios da corporação”.

Veja a denúncia do militar:

Meus amigos, mês passado denunciamos o descaso em que se encontra o Quartel do Comando Geral da Polícia Militar. Em texto publicado em sites jornalísticos mostramos nossa preocupação com a situação em que se encontram as instalações físicas das unidades policiais. A situação do QCG é crítica e serve para simbolizar como se encontram os demais prédios da corporação. Vocês podem acompanhar a cronologia da nossa atuação clicando nos seguintes links: link 1,  link 2 e link 3.
Motivada por dois ofícios protocolados pela AMESE, a Defesa Civil realizou, no dia 28 de fevereiro, inspeção nas instalações do QCG PM e constatou o que ora desconfiávamos: a parte do QCG onde funciona (vam) o CPMC e o CPMI deve ser desativada dado o estado de colapso da estrutura.
Exemplos bem recentes de omissão a laudos técnicos emitidos pelo poder público ajudam a explicar nossa preocupação. Vamos citar alguns. A boate Kiss no Rio Grande do Sul,  que foi fiscalizada e multada seis vezes, mas  que nunca foi fechada para regularização. O outro caso é o recente incêndio no ninho do Urubu (centro de treinamento do Flamengo) que, mesmo com mais de trinta notificações da prefeitura do Rio, continuou a funcionar normalmente. Ou ainda, aqui em Sergipe, a tragédia envolvendo o desabamento de uma caixa d’água sobre uma escola em Nossa Senhora das Dores. Nesses três casos, já sabemos o desfecho trágico causado pela omissão do poder público.
O que nos chama a atenção é que desde 2017, o Comandante Geral da Polícia Militar – Coronel Marcony – segundo ofício oriundo da Defesa Civil (relatório técnico de vistoria nº 17/2017), tinha conhecimento da situação crítica em que se encontravam essas instalações e desocupou e isolou somente a área que antes pertencia ao Comando de Policiamento Militar da Capital (à época comandado pelo Coronel Vivaldy). Os demais setores continuaram funcionando normalmente, como se a vida e integridade física destes outros militares e civis não tivessem, também, sua importância. Reforçamos que o comando já tinha conhecimento há dois anos dessa situação.
Graças a Deus o pior não aconteceu Porém é nosso dever estar vigilante e cobrar das autoridades as providências necessárias para que possamos salvaguardar a vida de nossos irmãos de farda.
Para aqueles que não viram como se encontram as instalações do QCG (casa do Comandante Geral), tivemos acesso exclusivo e realizamos a seguintes filmagens e fotografias:

Assista, abaixo, aos vídeos:

                                   
                                   

Veja, abaixo, as fotos:

Oficiamos, na manhã de hoje, o Comandante Geral da Polícia Militar para que o mesmo desocupe os setores condenados que ainda estão em funcionamento. Esperamos que o mesmo tenha bom senso e cumpra nossa solicitação e que realoque os militares deslocados para um local de trabalho digno e seguro.
JORGE VIEIRA DA CRUZ
    Sargento reformado
Por Eduardo Ferreira

Deixe seu comentário...